Rali de Portugal

26-03-2011 19:20

Ogier satisfeito com liderança

Hirvonen e Latvala resignados.
Ogier satisfeito com liderança

Por Sapo Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O francês Sébastien Ogier (Citroen DS) mostrou-se hoje visivelmente satisfeito com a forma como decorreu a segunda etapa do Rali de Portugal, que terminou na liderança.

«Por agora é perfeito. Mas ainda faltam 100 quilómetros e vimos hoje muitos pilotos sofrerem problemas. Espero que continue assim para mim, mas temos de ter cautelas. Este rali é totalmente diferente do México, mas ainda não terminou», afirmou o piloto gaulês, vencedor da última edição do rali português.

Enquanto Ogier manifestava-se feliz pela forma como lhe decorreu o dia, o seu companheiro de equipa e compatriota, Sébastien Loeb, mostrava-se incrédulo com o facto de ter ficado atrás dos seus principais rivais no campeonato e ter perdido tempo.

«Não acredito. Ficámos presos atrás da oposição no mesmo rali. Pelo menos, na segunda vez que fiquei atrás do Hirvonen, ele foi justo e vi que ele ficou parado à espera que eu passasse. Depois fiquei a apanhar poeira do Latvala, mas optei por reduzir um pouco, pois era fácil sofrer um furo», frisou Loeb.

O heptacampeão mundial adiantou que, à parte o tempo perdido atrás dos dois Ford, o dia correu sem problemas de maior, tendo ainda revelado que não deverá atacar no domingo, quando forem cumpridas a terceira e última etapa, composta por quatro provas especiais de classificação.

Horrível foi o dia para a equipa Ford, com os dois finlandeses Jari-Matti Latvala e Mikko Hirvonen a sentirem muitos problemas e a ficarem fora da luta pela vitória, salvo qualquer percalço na equipa Citroen.

«A transmissão traseira falhou a sete quilómetros do final da especial 12. Antes disso, tínhamos sentido uma má vibração, pelo que sabíamos que havia algo errado. Ainda tentámos corrigir, mas depois senti que havia um furo lento e apercebi-me de que o pneu estava a esvaziar. Tive de parar para o trocar. Agora vamos ver como corre amanhã (domingo)», afirmou Latvala.

Desanimado no final estava Hirvonen: «Foi um dia infeliz. A parte que falhou foi uma parte da suspensão traseira, mas ainda não sabemos o que causou o seu colapso. Não saímos de estrada, pelo que pode ter sido devido a uma pedra».

O dia correu muito bem ao norueguês Petter Solberg, que foi vítima de quatro furos no seu Citroen DS na sexta-feira, mas hoje respondeu da melhor maneira, tendo vencido três especiais.

«Nós visámos hoje o 10.º lugar e pretendíamos o sétimo amanhã (domingo). Agora sou nono, pelo que não é mau. Talvez seja possível chegar ao sétimo, ou mesmo ao sexto. Este é o segundo rali consecutivo em que tenho de fazer isto», frisou Solberg.

Igualmente satisfeito com a prestação de hoje estava Bruno Magalhães (Peugeot 207), que terminou o dia como melhor português, ao beneficiar dos problemas de Armindo Araújo.

«Correu muito bem para nós. Na segunda passagem, as especiais estavam destruídas em alguns pontos. Espero manter esta posição no final. Amanhã (domingo) vai ser muito difícil, já que as especiais são muito longas. A `power stage´ é muito estranha, comparada com as outras», disse Bruno Magalhães.

Depois de ter surpreendido ao longo do primeiro dia, que lhe valeu um surpreendente sétimo lugar, o português Armindo Araújo viu as suas pretensões ruírem no dia de hoje devido a problemas de motor no seu Mini Cooper.

«Sabíamos que o motor não estava bem, por isso decidimos parar, antes de ficar com danos permanentes», disse Araújo, justificando a decisão de não continuar.