Motores

12-07-2015 20:33

Autarca de Vila Real diz que WTCC está pago e projetou a região

Rui Santos garante que nunca tinha visto tanta gente em Vila Real.
Autarca de Vila Real diz que WTCC está pago e projetou a regiãoAutarca de Vila Real diz que WTCC está pago e projetou a região
Foto: FIA WTCC

Autarca de Vila Real diz que WTCC está pago e projetou a regiãoAutarca de Vila Real diz que WTCC está pago e projetou a região

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O presidente da Câmara de Vila Real fez hoje um balanço “muito positivo” do circuito urbano, que acolheu o Campeonato do Mundo de Carros de Turismo (WTCC), salientando que o evento está pago e projetou a região.

“Nunca vi tanta gente em Vila Real”, afirmou Rui Santos à agência Lusa.

Entre sexta-feira e hoje decorreu o 45.º Circuito Internacional de Vila Real, que incluiu a realização de sete provas, entre as quais o WTCC, que conta para o calendário da Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

“Estes dias ficarão para a história do Circuito Internacional de Vila Real e também para a história de Vila Real como o evento mais mediático que alguma fez foi feito na região e que mais projetou a região no país e no mundo”, salientou o autarca.

Ainda sem dados oficiais sobre os três dias de circuito, o presidente considerou que se “cumpriram todas as expectativas”.

Rui Santos afirmou ainda que este é “um evento viável e que está pago”. “A receita anda perto de 1,5 milhões de euros e a despesa também”, sustentou.

Na parte desportiva, os pilotos fizeram também, de uma maneira geral, um balanço positivo.

“O circuito está excelente”, afirmou à agência Lusa José Meireles, piloto de Vila Real, que disse ainda que hoje “correu em casa”, já que vive a “200 metros do circuito”.

O grande adversário deste dia foi, segundo salientou, “o calor” e também a nova ‘chicane’ de Mateus.

“O circuito está mais lento, mas é sempre um prazer correr aqui. Este circuito é mítico, tem zonas fantásticas e qualquer piloto gosta de correr aqui”, frisou.

Quanto à organização, José Meireles referiu que “há sempre arestas a limar”, mas comparativamente com o ano passado disse estar “mais profissional”. “Nota-se um cuidado maior com os horários e a segurança também”, sustentou.

Rita Azevedo, natural da Trofa e a única mulher em prova no 45.º Circuito Internacional de Vila Real, encontrou “algumas diferenças” neste regresso a Vila Real, nomeadamente a nível da pista, que considerou estar “um pouco pior”.

João Sousa estreou-se em Vila Real e elogiou o circuito. “Tem zonas muito rápidas, zonas muito lentas que é preciso uma boa condução. Adorei. Espero poder estar presente nas próximas edições”, frisou.

Unanimemente os pilotos destacaram a presença do muito público, que se espalhou ao longo dos mais de quatro quilómetros de pista, considerando ser um dos aspetos que mais entusiasma os participantes neste circuito urbano.

Por fim, o presidente da Câmara de Vila Real afirmou que o WTCC está garantido para o próximo ano, numa edição que contará com a “introdução de prováveis melhorias”.

“Sabemos que este ano não fizemos tudo perfeito, analisaremos o que correu menos bem e teremos a humildade de introduzir melhorias no próximo ano, se tal for necessário”, frisou.

Conteúdo publicado por Sportinforma