Motores

05-05-2017 20:21

Bruno Magalhães em segundo no primeiro dia do Rali Ilhas Canárias

Piloto português fechou o dia a 25,7 segundos do russo Alexey Lukanyuk.
Vitória portuguesa de Bruno Magalhães no Rali dos Açores
Foto: SAPO Desporto

Piloto português fechou o dia a 25,7 segundos do russo Alexey Lukanyuk.

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O português Bruno Magalhães (Skoda Fabia R5) terminou hoje em segundo o primeiro dia do Rali Ilhas Canárias, segunda prova do Europeu de Ralis (ERC), que o piloto luso lidera.

O português, que venceu o Rali dos Açores a 01 de abril, prova inaugural do europeu, fechou o dia a 25,7 segundos do russo Alexey Lukanyuk (Ford Fiesta R5), que concluiu as seis classificativas em 59.37,5 minutos.

Depois de estarem concluídas metade das etapas cronometradas da 41.ª edição da corrida espanhola, o russo, que conquistou a prova em 2016, lidera apesar de ter sido penalizado em 10 segundos, por ter efetuado uma saída antes do tempo.

Bruno e Hugo Magalhães acabaram por protagonizar a recuperação mais significativa do dia, ao terminarem o troço inaugural em nono, conseguindo recuperar nas restantes cinco classificativas.

Em declarações à sua assessoria de imprensa, Bruno Magalhães explicou que este terá sido “o melhor dia em provas no estrangeiro” da carreira, reiterando “confiança no carro, na equipa e no trabalho do navegador”, o que lhe permitiu “andar rápido e lutar pelas melhores posições”.

“Estou realmente contente com o trabalho que fizemos hoje. Mais uma vez, não estávamos à espera de conseguir impor um ritmo tão forte e terminar o dia em segundo. Foi um dia espetacular”, acrescentou.

Em 53.º e antepenúltimo na classificação final de hoje ficou Aloísio Monteiro (Renault Clio R3T), a mais de 11 minutos de Lukanyuk e em último da classe RC3.

Para sábado, último dia do rali, estão marcadas mais seis classificativas, com destaque para a especial de Moya, com 25,2 quilómetros.

“Os troços de amanhã [sábado] são idênticos aos do ano passado. A maioria dos pilotos já os conhece e eu vou às escuras. É uma desvantagem mas vou tentar compensar isso com um ritmo constante e esperar para ver”, apontou Bruno Magalhães, que garantiu “não baixar os braços” e lutar para “manter o primeiro lugar no europeu”.

Conteúdo publicado por Sportinforma