Motores

09-07-2017 20:26

Doze jovens "aceleram" em MiniGP, apesar de ser um desporto caro

Dez rapazes e uma rapariga, com idades entre os 10 e os 14 anos, “aceleraram”, este fim de semana, nos 908 metros da pista do Kartódromo de Évora.
Kartódromo de Évora recebe a 3.ª jornada da Oliveira Cup na categoria MiniGP
Foto: Kartódromo de Évora

Kartódromo de Évora recebe a 3.ª jornada da Oliveira Cup na categoria MiniGP

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

Apesar de ser um desporto caro para a maioria das carteiras, 12 jovens convenceram os pais a praticar motociclismo na escola de Miguel Oliveira e têm como ambição atingir o estatuto do piloto português de Moto2.

Dez rapazes e uma rapariga, com idades entre os 10 e os 14 anos, “aceleraram”, este fim de semana, nos 908 metros da pista do Kartódromo de Évora, durante a 3.ª jornada da Oliveira Cup na categoria MiniGP, organizada pelo clube de fãs de Miguel Oliveira.

O piloto Tomás Alonso, de 14 anos, um dos favoritos a vencer o troféu, ficou de fora desta corrida, porque partiu a tíbia num treino do Campeonato Nacional de Velocidade de motociclismo, mas estava presente entre o público.

Tomás, sempre atento ao que se passa na corrida, diz à agência Lusa que o seu desporto favorito é o motociclismo e que, apesar de não ter a oportunidade de ir aos circuitos, acompanha sempre a modalidade pela televisão.

O jovem, que quer chegar longe no motociclismo e que tem Miguel Oliveira como exemplo, já tem alguma experiência na modalidade, o que não acontece com todos.

Por exemplo, Rafael Damásio, de 10 anos, atual sexto classificado do troféu, começou a acelerar em fevereiro deste ano, por influência do pai, confessa à Lusa o próprio progenitor.

Enquanto desmonta um pisa-pés da mota do filho, no final da primeira manga, Bruno Damásio reconhece que se trata de um “desporto caro”, sendo imprescindível recolher patrocínios junto de empresas.

Para já, Bruno quer que o filho aprenda a andar de mota e se divirta, mas até via com bons olhos que Rafael fosse no futuro “o novo Miguel Oliveira”.

A inscrição na Oliveira Cup custa mais de dois mil euros, mas está incluído o aluguer da mota com 220 centímetros cúbicos a quatro tempos, manutenção e mecânica, além da participação nas sete provas do troféu.

Ao valor da inscrição, os pais têm de juntar ainda o fato de motociclismo, que pode custar 500 euros, entre outros equipamentos.

O piloto espanhol Pedro Fraga, de Valladolid (Espanha) e que participou pela primeira vez neste troféu, venceu as duas mangas da corrida, seguido do jovem português Marco Mateiro, que ascendeu à liderança do campeonato.

A par da prova de MiniGP, realizou-se a competição velocidade 2020, com jovem entre os 07 e os 12 anos, numa iniciativa da Federação de Motociclismo de Portugal e do Motor Clube do Estoril, onde se destacou Bruno Salreta, de 12 anos.

Depois de Portimão, Vila Nova de Santo André (Santiago do Cacém) e Évora, a próxima jornada da Oliveira Cup está marcada para 20 de agosto no Bombarral, no distrito de Leiria.

Conteúdo publicado por Sportinforma