Fórmula 1

06-10-2014 13:23

Villeneuve pede recurso ao 'safety car' para evitar novos acidentes

O ex-piloto canadiano pediu uma alteração das regras por parte da FIA.
Jules Bianchi
Foto: ALEXANDER KLEIN / AFP

Jules Bianchi encontra-se em estado grave, depois de um acidente no Grande Prémio do Japão.

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

O ex-piloto canadiano Jacques Villeneuve, campeão mundial de Fórmula 1 em 1997, sugeriu hoje que se mude o protocolo em relação à entrada do "safety car", para evitar acidentes como o do Jules Bianchi.

O francês Jules Bianchi (Marussia) foi operado de urgência à cabeça e encontra-se em estado grave, depois de ter ficado "gravemente ferido" no domingo, num acidente no Grande Prémio do Japão.

O monolugar de Bianchi saiu de pista e chocou com o veículo que estava a tentar remover o carro do alemão Adrian Sutil (Sauber), que tinha ficado em posição perigosa depois de ter perdido o controlo no mesmo local.

"Há que mudar as normas relativas ao 'safety car'. Quando corria, mas também depois disso, sempre disse que quando há um acidente tem de haver um 'safety car'", começou por dizer Jacques Villeneuve em declarações à edição digital da revista britânica Autosport.

O canadiano explicou que aqueles que pensam que as corridas se param com muita frequência estão enganados, referindo que o risco de um carro chocar com outro que esteja imóvel é muito elevado, não bastando o uso de bandeiras amarelas.

"O problema é que quando a FIA faz entrar o 'safety car', a imprensa e público queixam-se porque interrompe a corrida. Às vezes atrasa um pouco, mas evitam-se casos como o de Bianchi", salientou Villeneuve.

O ex-piloto referiu tratar-se de algo que sempre o preocupou e disse estar surpreendido que apenas agora tenha havido um acidente deste tipo, frisando que com demasiada frequência os carros evitam-se por uma questão de centímetros.

Conteúdo publicado por Sportinforma