Fórmula 1

27-11-2016 17:50

Hamilton rejeita ter feito manobra "perigosa ou desleal"

O piloto britânico desobedeceu reiteradamente às ordens da equipa para acelerar na fase final da prova e reduziu a velocidade.
Lewis Hamilton, piloto britânico.

Lewis Hamilton, piloto britânico.

Por SAPO Desporto c/ Lusa sapodesporto@sapo.pt

O piloto britânico Lewis Hamilton rejeitou este domingo que a manobra tática que utilizou para evitar que o alemão Nico Rosberg conquistasse o título mundial de Fórmula 1 na corrida de Abu Dhabi tenha sido “perigosa ou desleal”.

“Não acho que tenha feito algo de perigoso ou desleal. Estávamos a lutar pelo título de campeão. Estava na liderança e era eu que controlava o ritmo da corrida”, sustentou Hamilton, que tinha partido para a 21.ª e última prova do Campeonato do Mundo com 12 pontos de atraso para o colega na Mercedes.

Rosberg apenas precisava de terminar no pódio para conquistar pela primeira o título mundial de F1, independentemente do resultado de Hamilton, e o alemão manteve-se sempre no controlo das operações, instalado no segundo lugar, mesmo quando Hamilton tentou uma manobra a roçar o desespero.

O britânico, que tinha partido da ‘pole position’, desobedeceu reiteradamente às ordens da equipa para acelerar na fase final da prova e, pelo contrário, reduziu a velocidade, mas mantendo-se sempre a salvo de uma ultrapassagem de Rosberg, que deitaria tudo a perder.

A estratégia de Hamilton tinha como objetivo permitir a aproximação de Vettel (Ferrari) e do holandês Max Verstappen (Red Bull) e colocar Rosberg sob pressão, mas o alemão nunca esteve em risco, terminando no segundo lugar, atrás do colega de equipa e bicampeão cessante.

Apesar da justificação de Hamilton, o ‘patrão’ da Mercedes, Toto Wolff, não gostou de ver o britânico desrespeitar as ordens da equipa: “É possível deixá-los correr com menos regras, mas a consequência será ganharmos menos corridas e menos campeonatos”, observou.

Conteúdo publicado por Sportinforma