Fórmula 1

27-11-2016 16:42

Rosberg resistiu a Hamilton para assegurar título mundial

O alemão Nico Rosberg manteve-se hoje imperturbável rumo à conquista do primeiro título mundial de Fórmula 1, resistindo às manobras táticas do rival britânico Lewis Hamilton para terminar em segundo lugar no Grande Prémio de Abu Dhabi.
Rosberg

Rosberg

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

Hamilton, que partiu para a 21.ª e última prova do campeonato com 12 pontos de atraso relativamente ao colega de equipa na Mercedes, obteve uma das vitórias mais amargas da carreira, ficando a escassos cinco pontos de juntar mais um título aos que já conquistou em 2008, 2014 e 2015.

Aos 31 anos, Rosberg tornou-se o 33.º campeão mundial da categoria rainha do desporto automóvel e o terceiro alemão, num total de 12 títulos conquistados por pilotos germânicos apenas nos últimos 23 anos - mais de metade -, sete pela mão de Michael Schumacher e quatro pela de Sebastian Vettel.

Rosberg apenas precisava de terminar no pódio para suceder ao pai, o finlandês Keke Rosberg, campeão mundial de F1 em 1982, independentemente do resultado de Hamilton, e o alemão manteve-se sempre no controlo das operações, mesmo quando Hamilton tentou uma manobra a roçar o desespero.

O britânico, que tinha partido da ‘pole position’, desobedeceu reiteradamente às ordens da equipa para acelerar na fase final da prova e, pelo contrário, reduziu a velocidade, mas mantendo-se sempre a salvo de uma ultrapassagem de Rosberg, que deitaria tudo a perder.

A estratégia do campeão cessante tinha como objetivo permitir a aproximação de Vettel (Ferrari) e do holandês Max Verstappen (Red Bull) e colocar Rosberg sob pressão, mas o alemão nunca esteve em risco, graças também à superioridade do Mercedes, que já tinha assegurado o título de construtores com grande antecedência.

“Estou muito orgulhoso por ter conseguido a reeditar o feito do meu pai”, confessou Rosberg, que se tornou o segundo filho de um campeão mundial de F1 a seguir os passos do pai, depois do britânico Damon Hill, filho do bicampeão Graham Hill (1962 e 1968), em 1996.

Rosberg cruzou a meta a 439 milésimos de Hamilton, que chegou ao 53.º triunfo da carreira e ao 10.º neste ano, ainda que tenha poucas razões para o festejar, enquanto Vettel completou o pódio, depois de ter terminado a 843 do vencedor.

“Com aqueles dois rapazes [Vettel e Verstappen] a aproximarem-se de mim, tenho de admitir que o fim da corrida não foi o mais agradável”, observou o piloto da Mercedes, que consegue finalmente chegar ao título, depois de ter terminado no segundo lugar do campeonato em 2014 e 2015, atrás de Hamilton.

O britânico Jenson Button, campeão mundial em 2009, não teve a despedida da F1 que desejaria, aos 36 anos, tendo de abandonar a corrida disputada no circuito Yas Marina à passagem da 13.ª volta, devido a problemas de direção no McLaren-Honda.

RPC // JP

Conteúdo publicado por Sportinforma