GP Austrália

27-03-2017 17:03

E a notícia na Fórmula 1 foi que a Mercedes não ganhou

Vettel em Ferrari bateu o grande tubarão da Fórmula 1. A Mercedes já não perdia uma corrida desportivamente desde 2015.
Sebastian Vettel festeja depois do triunfo em Melbourne
Foto: AFP or licensors

Sebastian Vettel festeja depois do triunfo em Melbourne

Por SAPO Desporto sapodesporto@sapo.pt

Sebastian Vettel, tetracampeão mundial, (em Ferrari), foi o primeiro piloto a conhecer o sabor do triunfo na nova temporada na Fórmula 1. O piloto alemão venceu o Grande Prémio da Austrália com 9,9 segundos de vantagem sobre o britânico Lewis Hamilton.

O inglês tinha assegurado a pole position, mas acabou por perder por sair derrotado no final, ficando-se pelo segundo lugar no pódio.

A notícia na Fórmula 1 foi mesmo a derrota dos pilotos da Mercedes na pista, ou seja, sem sofrerem acidentes ou avarias.

A Ferrari acabou por vencer na estratégia. Vettell fez uma paragem tardia nas boxe e o 'tampão' que Verstappen conseguiu fazer por alguns instantes a Hamilton depois da sua mudança de pneus, acabou por atrasar o ingles.

Vettel acabou por vencer com quase 10 segundos de vantagem sobre o britânico. Valterri Bottas ficou no último lugar no pódio.

Há muito tempo que a equipa de Brackley não perdia uma corrida na pista. Em 2016, só não ganharam duas corridas, no GP de Espanha depois do acidente da primeira volta que resultou nos abandonos de Rosberg e Hamilton e no GP de Malasia, onde os dois pilotos também não conseguiram terminar a corrida.

Temos que recuar até 2015 para ver um carro da mercebes batido em pista. Foi na Malásia, em 2015, quando Vettel se impôs a Hamilton e a Rosberg.

A corrida acabou por ficar marcada por alguns incidentes que resultaram no abandono de cinco pilotos: Daniel Ricciardo (Red Bull), o francês Romain Grosjean (Haas), o britânico Jolyon Palmer (Renault), o sueco Marcus Ericsson (Sauber) e o canadiano Lance Stroll (Williams).

Ainda assim e apesar da derrota, a Mercedes de Lewis Hamilton e Bottas é a grande favorita para conquistar o campeonato do mundo de Fórmula 1.

Conteúdo publicado por Sportinforma