Editorial

10-02-2010 18:29

A indiferença de Carvalhal

O Sporting precisa de uma liderança forte, de alguém que consiga acordar o rugido do leão.
A indiferença de Carvalhal

Por Paulo M. Guerrinha sapodesporto@sapo.pt

Hoje, há que dizer, os sócios do Sporting estão muito condescendentes. Numa altura em que os leões podem dizer adeus a toda a época, já sem hipótese de conquistar o que quer que seja, resta apenas tentar manter a quarta posição, para tentar chegar à Europa.

Mas, tendo em conta as últimas prestações, nem aí os leões estão seguros. Carlos Carvalhal continua a não ser a solução. É assustador ver o ar passivo com que Carlos Carvalhal vê o desenrolar dos jogos. Principalmente em contraste com Jorge Jesus.

No jogo da Taça da Liga, que o Benfica venceu por 1-4, Jorge Jesus, já a vencer por 0-2, não parava de dar indicações para a equipa atacar. Carvalhal, por seu lado, estava quedo e mudo. Sem reacção, como alguém que se sente encurralado por um grupo de Shreks, gordos e barbas. Quem quer que sejam tais figuras míticas que saturam o treinador do Sporting.

Ser afastado da Taça da Liga, com uma goleada, numa altura em que já não restavam muitas esperanças para qualquer outra conquista, não é digno de uma equipa de topo da tabela. O Sporting precisa de uma liderança forte, de alguém que consiga acordar o rugido do leão.

Opinião

Editorial

Obrigado Ronaldo

A paixão que desperta, mesmo em quem desgosta do futebol, tornam Cristiano Ronaldo no único candidato possível ao título de Bola de Ouro.