06-11-2011 23:05

LEÃO PERDE NA EUROPA...

...Mas Braga compensa na "Pedreira".

Por Rui Tovar sapodesporto@sapo.pt

Sortes diferentes dos dois Sporting na liga europeia nº2, mas sem motivo para sobressaltos. O Sporting propriamente dito, que já tinha garantido o apuramento, não passou na Roménia (0-1), frente ao Vaslui, enquanto o de Braga, cilindrou os eslovenos do Maribor (5-1) e voltou a entrar na luta pela qualificação. De onde, valha a verdade, não tinha propriamente saído. O saldo da ronda ficou marcado ainda pela grave lesão de Rinaudo, que vai ficar afastado por quatro meses.

Foi precisamente por ter a continuidade na prova já assegurada que Domingos entendeu refrescar a equipa, promovendo uma revolução no onze que levou à titularidade uma mão cheia de habituais suplentes. Marcelo, Pereirinha, Evaldo, Bojinov e Carrillo surgiram de início e é bem possível que o expediente tivesse resultado, não fora a infelicidade de Rinaudo, logo aos nove minutos.

Claro que o espírito de luta do substituto André Santos foi inabalável, mas o sentimento de perda esteve sempre presente. E logo Rinaudo, que transmitia confiança a todo o conjunto. Ao azar juntou-se a desorientação no momento do único golo do jogo, com os centrais a falharem o alívio em zona proibida.

Como se tudo isto não bastasse, o Sporting teve de se haver ainda com um opositor bem estruturado e combativo, que fez do jogo uma questão de honra, discutindo todos os lances em todo o terreno e apresentando na frente uma dupla tecnicamente evoluída, Ailton-Bello, de problemática contenção.

É verdade que na 2ª parte, com as entradas de Wolfswinkel e Rubio, esta a implicar a habitual rendição de Matías, o Sporting apareceu mais afoito na frente, mas aí foi a vez da defesa do Vaslui impor leis, com destaque para Farkas e Papp, que, no eixo, mostraram atributos acima da média.

Mesmo assim, o Sporting poderia ter chegado ao empate se uma falta clara sobre Rubio, na área, tivesse sido assinalada. O que não invalidaria a nota negativa que o Sporting justificou nesta deslocação à Roménia. Mas sempre seria outro resultado...

Outro resultado foi, sim, o alcançado pelo Braga. Depois do deslize em casa, frente ao Brugge, os minhotos não podiam agora falhar e não falharam mesmo. Uma entrada de rompante (Lima e Alan) para sossegar as hostes, dentro e fora do relvado, foi a receita encontrada para resolver o jogo e preparar já o outro, esse mesmo, com o Benfica.

Contudo, face à macieza do Maribor, a conta ainda subiu para 3-0 (Elderson), antes do intervalo. Gerindo esforços, mas não deixando de fazer os mínimos, o Braga podia ampliar a diferença, como já sucedera no 1º período, mas foi o Maribor a reduzir e quase a repetir a graça, o que seria escandaloso, face à diferença de capacidades bem evidente.

Tudo, porém, voltaria à primeira forma, já com Salino, P.César e Mérida em campo: dois golos a fechar (P.Vinicius e Mérida), a dar outra expressão a um triunfo mais do que merecido e estribado em exibição de qualidade. Ficava assim garantida a candidatura à fase seguinte da prova e assegurada também a condição física e psicológica para o confronto que se segue...

Opinião