Opinião / Pedro Gomes

28-10-2012 13:52

A águia e o pintainho

A análise do comentador Pedro Gomes à vitória do Benfica sobre o Gil Vicente.
A águia e o pintainho

Por Pedro Gomes sapodesporto@sapo.pt

O Gil Vicente, ao contrário do que é habitual, pois quando recebe os candidatos ao título costuma ser um “mau” anfitrião, ontem, frente ao Benfica, foi um galo sem esporões e mais parecia um pintainho. Muito por culpa do domínio dos encarnados, que realizaram uma boa e consistente primeira metade. E também pela forma desordenada como os galos não defenderam nem evitaram a execução dos golos da águia.

Tínhamos dito na crónica “IGUAIS MAS DIFERENTES” que o Benfica está a demorar a definir um estilo de jogo que se aproxime das exibições das épocas antecedentes. Jorge Jesus é um treinador muito acima da média, mas vai ter de acelerar o seu trabalho. Ontem, por diversas circunstâncias, Jesus não só alterou a equipa, como também corrigiu as posições de vários elementos. Estas mudanças táticas e o envolvimento das movimentações dos jogadores beneficiaram e deram maior equilíbrio ao coletivo da Luz.

O futebol no corredor central foi mais constante, mais criativo e duradouro. A entrada de André Gomes para esse setor e o desvio de Enzo Perez para o seu habitat, assim como as estreias de Luisinho e de Ola John estiveram na origem da significativa melhoria do futebol atacante do Benfica. Mas a ação mais determinante de Jesus foi a de aproveitar a inteligência, a sagacidade, e a técnica de Lima. Ao dar a Lima a dupla missão de médio e de avançado. Sempre solícito aos passes do portador da bola, ao recebê-la, tratava-a e endossava-a com ternura. Aquele passe para Luisinho? E compareceu sempre aos cruzamentos, fazendo um excelente golo.

O discurso final de Jesus pareceu-me ambíguo e despropositado. Sobrou retórica e faltaram ciências humanas. «Dizer que o campeonato português é uma coisa e a Champions é outra. Não me iludo. «Para aqui vai dando?» Não havia necessidade. Tem razão na diferença classificativa. No grupo G da Champions o Benfica vai em último e no campeonato nacional é líder. Mas estes jovens jogadores fizeram algum jogo na Liga dos Campeões? O grupo é assim tão difícil? Será que o Celtic e o Spartak  são superiores ao Benfica? Aguardemos pela continuidade dos putos atrevidos e competentes e pela mais que possível passagem do Benfica aos oitavos de final na Champions. 

Opinião