Voleibol

31-05-2017 23:49

Hugo Silva diz que equipa está em crescimento na Liga Mundial

Portugal e Austrália, duas seleções que se estrearam na Liga Mundial no mesmo ano de 1999, defrontam-se na abertura do grupo B2.
Hugo Silva, selecionador luso de voleibol
Foto: José Coelho/Lusa

Hugo Silva, selecionador luso de voleibol

Por SAPO Desporto c/Lusa sapodesporto@sapo.pt

O selecionador português de voleibol, Hugo Silva, considerou hoje que "a equipa está em crescimento e preparada para contrariar a Austrália", no jogo inaugural de sexta-feira, do grupo 2 da Liga Mundial, em Poprad, na Eslováquia.

Portugal e Austrália, duas seleções que se estrearam na Liga Mundial no mesmo ano de 1999, defrontam-se na abertura do grupo B2, a decorrer até domingo em Poprad, e no qual participam ainda a anfitriã Eslováquia e o Japão.

Digerida a não qualificação para o Mundial2018, com o terceiro lugar alcançado em Ljubljana, que terminou com a qualificação direta da anfitriã Eslovénia e com a Bélgica apurada para a terceira fase, o foco de Portugal está agora na Austrália.

"São altos e fortes e com um jogo tecnicamente muito evoluído. Também estão a atravessar um período de renovação e possuem um potencial enorme", considerou Hugo Silva, em declarações à agência Lusa em Poprad, no final de mais uma sessão de treino.

No entanto, Hugo Silva acredita numa boa prestação frente à Austrália, considerando que Portugal, embora não esteja ainda a um nível de há alguns anos, "tem os seus argumentos para vencer, defendendo bem e jogando com velocidade e rapidez".

O selecionador nacional lamenta, mais do que o cansaço acumulado nas deslocações e nos cinco jogos consecutivos realizados no apuramento para o Mundial2018, há uma semana, não ter podido contar com todos os jogadores mais cedo em estágio.

Alguns dos jogadores convocados, por ainda se encontrarem envolvidos nas competições dos seus clubes, juntaram-se à comitiva praticamente no aeroporto, de partida para um segundo estágio que decorreu em Maribor, na Eslovénia.

Hugo Silva referia-se aos benfiquistas Tiago Violas e Ivo Casas e a João Simões, do Sporting de Espinho, que disputaram no decisivo quinto encontro a atribuição do título nacional, conquistado pelos 'encarnados', e ainda a Afonso Guerreira, da Fonte do Bastardo.

O grupo também não contou, na altura, com os irmãos Alexandre e Marco Ferreira, submetidos a um 'draft' (sorteio) na Coreia do Sul, estilo NBA para a captação de jogadores. Dos cerca de 30 voleibolistas observados, Alexandre Ferreira ficou no lote final de cerca de uma dezena e vai disputar o campeonato daquele país de agosto a fevereiro de 2018.

O grupo ficou ainda sem poder contar com João Oliveira, do Vitória de Guimarães, que contraiu uma entorse que o afastou do grupo de trabalho e do leque de opções para a Liga Mundial.

O selecionador Hugo Silva refere ainda que, no atual grupo que se encontra em Poprad, e que depois segue para a República Checa para cumprir novo torneio, há jogadores como Lourenço Martins, Afonso Guerreiro e Phelipe Martins que são estreantes na Liga Mundial.

Portugal, tal como as restantes seleções - Eslováquia, Japão e Austrália -, realiza na quinta-feira um treino de adaptação ao pavilhão, um dia antes do jogo de estreia, marcado para as 14:00 de sexta-feira (13:00 em Portugal continental).

Conteúdo publicado por Sportinforma