A necessidade de se dar maior incentivo às crianças que praticam o futebol para que no futuro os resultados apareçam, pressuposto que deve estar aliado a criação de infraestruturas condignas, foi defendido hoje, sábado, pelo ex-futebolista e capitão da selecção nacional, Fabrice Mayeco "Akwa", que qualificou os Palancas Negras ao mundial da Alemanha2006, resultante da vitória sobre o Rwanda, em Kigali

O ex-astro do futebol nacional fez este pronunciamento em declarações à imprensa, no âmbito do festival infanto-juvenil realizado neste sábado no Centro Comunitário Desportivo do Zango, numa organização da Associação Tea Club em parceria com a Kamba Academia.

De acordo com o autor do golo que qualificou os Palancas Negras ao mundial da Alemanha2006, resultante da vitória sobre o Rwanda, em Kigali, a 8 de Outubro de 2005, nos últimos tempos os apoios para o futebol não tem aparecido e, por essa razão, se fala que o talento vai desaparecendo.

“ O talento existe, o que é necessário é haver maior incentivo para o recurso humano que o pais possui, pois muitas crianças querem praticar desporto, porquanto só desta forma é que no futuro se terão bons resultados”, realçou.

Para Akwá, no passado, em que o país viveu momentos difíceis, foram conseguidos bons resultados. "Hoje que se vive em paz, de lá para cá, se tem decrescido", deplorou.

Neste contexto, defendeu a necessidade de se fazer uma reflexão para se ver o que se tem feito de errado e se corrigir, para que se tenham os êxitos desejados.

Aconselhou a Federação Angolana de Futebol a fazer parcerias com os clubes que têm boas infraestruturas, a fim de permitir a selecção nacional se preparar convenientemente, pois se trata da equipa que representa o país.

“Estamos a colher frutos negativos, por a Federação Angolana de Futebol não possuir infraestruturas e é muito chato quando tem que pagar valores para a selecção poder treinar no estádio dos Coqueiros, Cidadela Desportiva ou no 11 de Novembro “ , lamentou.

Questionado sobre o diferendo que o opõe a Federação Internacional de Futebol ( FIFA), afirmou já muito ter falado sobre o assunto e lamenta que até agora as estruturas de direito nada tenham feito, visto que a origem da sanção de que é alvo ser fruto de ter posto a selecção nacional em primeiro plano.

Este diferendo já data de 2009, altura em que Akwá foi multado em 250 mil dólares americanos, por ter participado num jogo da selecção nacional de futebol em 2006 sem a autorização do clube asiático onde esteve vinculado, o Al-Wakra do Qatar.

Devido a esta sanção, o ex-futebolista está impedido de exercer qualquer actividade oficial ligada ao Futebol ( agente desportivo, treinador ou dirigente desportivo).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.