O defesa central do Recreativo do Libolo, Celso Barros, considerou o número elevado de atletas convocados para os treinos da seleção nacional de futebol de Angola no âmbito do CHAN de 2018, um incentivo à aplicação dos jogadores e a disputa de uma vaga entre os que irão representar o país.

O futebolista falou no final treino realizado no estádio da Cidadela e disse existir coesão no conjunto e vários  jogadores com qualidade e habilidade para uma só posição,  o que retira a hipótese dos  integrantes relaxarem, sob pena de serem dispensados do grupo orientado pelo selecionador, o sérvio Srdjan Vasiljevic.

“Na minha posição, há mais de três colegas experientes que podem ser opção, como é o caso de Nari e Wilson. O mesmo acontece no meio campo com a presença de Manguxi, Paty  e Herenilson”, citou  o atleta que fez  990 minutos em 12 jogos do Girabola 2017.

Para  Wilson Pinto Gaspar  que atua no Petro de Luanda,  há  necessidade  de  todos  pré-escolhidos fazerem bem a campanha preparatória, pois o objetivo é formar um combinado à altura de se impor diante de qualquer adversário durante a competição, onde o país participa pela terceira vez depois .

Angola, colocada na série D, defrontará opositores fortes como Camarões, Burkina Faso e Congo, daí que tudo faremos  para atingir a forma ideal, a fim de representar de forma condigna a nação”, disse. No único treino realizado na tarde de sexta-feira a seleção nacional de Angola limitou-se durante certa de 30 minutos a variados exercícios de aquecimento, além de cruzamentos de canto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.