A direcção cessante do Clube Recreativo da Caála (CRC), liderada por Horácio Mosquito, foi reconduzida este domingo, para mais quatro anos 2020/2024, durante a assembleia de renovação de mandatos da agremiação desportiva.

Com o apoio dos 70 associados presentes, dos 150 previstos, a assembleia decidiu pela renovação do mandato da lista única, encabeçada pelo candidato Horácio Mosquito, que esteve ausente do escrutínio por se encontrar actualmente na capital do país (Luanda), onde se verifica uma cerca sanitária, em função das acções de prevenção contra a Covid-19.

Foram igualmente reeleitos os vice-presidentes para as áreas Administrativa, Eduardo Pindali, e Desportiva, Moisés Feliciano, assim como o Secretário-geral, Gabriel Pacheco de Sousa, que voltam a coadjuvar o presidente do Recreativo do Recreativo da Caála.

A Mesa da Assembleia-geral do corpo directivo mantém como Presidente, António Mosquito, Vice-presidente, Francisco Jamba Kata, e Luís Mboyo volta a assumir as funções de Secretário desta direcção, que reassume o Recreativo da Caála para os próximos quatro anos da temporada desportiva nesta circunscrição.

Em declarações à imprensa, o Secretário-geral do Recreativo da Caála, Gabriel Pacheco de Sousa, disse que nesta temporada desportiva a prioridade será a manutenção do plantel no campeonato nacional da I divisão “Girabola”.

Referiu ser aposta dotar o clube de maior competitividade, bem como  apostar na construção das infra-estruturas desportivas da segunda fase do Centro de Estágio, que inclui a Piscina Olímpica e os Pavilhões Multiusos, adjacentes ao Clube Recreativo da Caála (CRC).

De igual modo, fez menção a uma actividades cada vez mais transparente, no que toca ao exercício de gestão financeira, e defender os interesses da colectividade em detrimento das acções individualistas que podem prejudicar os objectivos do CRC.

A agremiação fundada em 1944, com 76 anos de existência, tem a sua direcção em funcionamento no município da Caála.

APF prepara-se para eleger novo presidente da província do Huambo

A Associação Provincial de Futebol (APF) do Huambo iniciou este mês o processo para eleger um novo candidato para presidência, em substituição do ex-capitão da selecção de futebol da Angola, António de Rosário, que decidiu ausentar-se na lista de candidatura, depois de oito anos consecutivos na liderança da organização reguladora desta modalidade.

De acordo com o presidente cessante, António de Rosário, a APF tem tudo pronto para realizar eleições, no próximo mês, para a nomeação do novo presidente da província do Huambo.

No entanto, manifestou a sua disponibilidade para apoiar, de modo incondicional, os programas de desenvolvimento desportivo na província do Huambo, assim como contribuir na elevação do futebol no país.

“Deixarei sim a APF para dar lugar a outros. Eu nunca abandonarei o futebol e farei sempre o necessário para o desenvolvimento desta modalidade”, frisou o ex-capitão da selecção angolana de futebol.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.