O treinador do Sagrada Esperança, Roque Sapiri, defendeu nesta quarta-feira, nesta cidade, que a ideia da redução de salários aos jogadores, face ao impacto da COVID-19 na economia mundial, deve ser consensual entre as partes.

Em declarações à Angop, considera inadequada a posição unilateral de clubes do Campeonato Nacional de Futebol de pagamento parcial, porque as medidas impostas no decreto presidencial, no âmbito prevenção ao novo coronavírus, protegem o trabalhador neste sentido.

“Devemos ter uma certa ponderação sobre esta matéria, porque estamos num contexto completamente diferente de outros países, daí penso que as direcções devem sentar-se com os jogadores para um acordo que não prejudique nenhuma das partes”, reiterou.

Sobre o título do Campeonato Nacional de Futebol da primeira divisão “Girabola2019/20”, o técnico corrobora da ideia de um campeão em campo e não na secretaria.

Na competição, o Sagrada Esperança é o sexto colocado com 34 pontos. O Petro de Luanda é o líder com 54, seguido do 1º de Agosto com 51 e menos um jogo.

O fim ou a continuação da presente edição do Girabola será decidido quinta-feira numa reunião entre a Federação Angolana de Futebol e as direcções dos 15 clubes participantes na prova, interrompida em Março, na sequência da covid-19.

O “conclave”, a realizar-se a partir das 10 horas, no anfiteatro da instituição, os clubes de fora de Luanda participarão por videoconferência, atendendo a cerca sanitária vigente na capital do país.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.