A quatro jornadas do fim, a derrota do Petro de Luanda em casa do Desportivo da Huíla (2-0) e ascensão do 1º de Agosto marcaram a 26ª jornada do Girabola2017, em que o Recreativo da Caála e o Interclube ficaram sem jogar, por dívida com equipa de arbitragem.

Com o desaire dos petrolíferos, na cidade do Lubango, os agostinos recuperam o comando, com 58 pontos, mais dois que os eternos rivais, em função também do seu triunfo sobre o Recreativo do Libolo, por 1-0, no Estádio 11 de Novembro, com golo solitário do central Dany Massunguna, aos 39 minutos.

Assim, apesar dos difíceis desafios ainda por ultrapassar, os militares deram, domingo, um importante passo na luta pela revalidação do título, mas contando sempre com a perseguição do Petro, a julgar pela diferença mínima na actual pontuação e possibilidades de chegar a campeão da presente temporada.

Já o seu “carrasco” Desportivo da Huíla, com o feito, assegurou a manutenção na prova, também cumprindo com a tradição de não perder em casa frente aos petrolíferos, há sete anos.

Ainda sobre a permanência, a Académica venceu o Progresso Sambizanga, por 1-0, no Buraco, mas se mantém na 12ª posição. A formação sambila não vence há quatro jogos. O FC Bravos do Maquis quebrou o enguiço de sete jogos, com o triunfo por 1-0, frente ao Santa Rita, no Luena.

Sábado, na abertura da jornada, o Kabuscorp derrotou o ASA, por 1-0. A formação aviadora deu bons indicadores, sobretudo no primeiro tempo, mas pecou na finalização das oportunidades criadas.

O Sagrada Esperança venceu o 1º de Maio de Benguela (2-0) e o JGM do Huambo perdeu, por 0-3, frente ao Progresso da Lunda-Sul. O Santa Rita de Cássia do Uige (16º/16 pontos), JGM do Huambo (15/23), ASA (14º/23) e o Progresso da Lunda Sul (13º/23), são os principais candidatos ao rebaixamento.

Sobre o jogo Recreativo da Caála-Interclube, que deveria ser disputado domingo, no estádio Mártires da Kanhala, no Huambo, mesmo com a presença dos três intervenientes principais em campo, não se realizou, pela falta de pagamento à equipa de arbitragem.

A equipa de arbitragem permaneceu no relvado por mais de 30 minutos, tal como as respectivas formações, depois decidiu cancelar o jogo por incumprimento administrativo do Recreativo da Caála, situação agora remetida para decisão da Federação Angolana de Futebol (FAF).

Quanto aos goleadores, o avançado Tiago Azulão, do Petro de Luanda, que na semana ficou em branco, lidera os marcadores, com 14 golos, seguido por Rambé, do 1º de Agosto, 11, e Fofó, do Progresso Sambizanga, com 10.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.