Cafú, campeão mundial de futebol pelo Brasil em 1994 e 2002, admitiu este sábado, à margem da cerimónia do sorteio para a Taça das Confederações de 2013, que este «não era o melhor momento» para demitir o selecionador Mano Menezes.

Cafú, que será hoje o responsável pela apresentação da bola oficial da Taça das Confederações e Mundial de 2014, confessou-se admirador de Mano Menezes, demitido a 24 de novembro, mas desejou toda a sorte a Luiz Felipe Scolari, de regresso ao comando da “canarinha”.

«Ele [Mano Menezes] procurava formar um grupo. Estava a testar novos jogadores. Se o objetivo era criar uma identidade na seleção, não posso concordar com esta opção”, afirmou o antigo internacional brasileiro.

Mesmo não concordando com a demissão de Mano Menezes, Cafú deixou o desejo para que permitam Luiz Felipe Scolari «trabalhar com calma» a fim de chegar a todos os objetivos traçados pela Confederação Brasileira de Futebol.

«’Felipão’ está agora obrigado a vencer a Taça das Confederações para não desiludir os adeptos. Esta prova é uma antecipação do Mundial e servirá para o selecionador ver o que funciona e o que não funciona», aconselhou Cafú.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.