A (inesperada) saída de Jorge Jesus do Flamengo para regressar ao Benfica, poucas semanas depois de ter renovado o contrato que o ligava ao clube brasileiro, continua a dar que falar no Brasil e foi segunda-feira tema de conversa no programa 'Bem, Amigos!', da SportTV brasileira.

Durante o programa, um jornalista daquele canal, Eric Faria, diz Marcos Braz, vice-presidente do Flamengo, lhe referiu que o clube não quer vender qualquer jogador ao Benfica, brincando mesmo com a questão ao dizer que se fosse para negociar com o FC Porto, a conversa poderia ser outra. "Muita gente achava que o avião do Benfica sairia lotado, com a comissão técnica e com jogadores. Posso dizer para vocês que o Marcos Braz me garantiu que não sai nenhum jogador do Flamengo para o Benfica. Ainda brincou: 'Eu vendo para o Porto, mas não vendo para o Benfica', disse o jornalista, citando a conversa que tinha tido com o dirigente dos 'rubronegros'.

Recorde-se que tem sido noticiado que Jesus terá pedido a Luís Filipe Vieira para contratar de imediato dois jogadores do Flamengo: Gerson e Bruno Henrique.

O mesmo jornalista explica ainda que, apesar de o clima ter continuado a ser de amizade entre treinador e clube, houve aspetos que acabaram por não ser tornados públicos e garantiu que o 'Fla' desconheceu quase até ao último momento as negociações entre Benfica e Jesus. "Muita coisa ficou por ser dita. Por exemplo, o Flamengo não sabia que ele ficou negociando com o Benfica? Não sabia. Jorge Jesus guardou segredo, não dividiu com ninguém. Inclusive um dos integrantes da comissão técnica me confidenciou que ele acabou de comprar uma moto e de alugar um apartamento no posto 5 da Barra da Tijuca e teve que mudar tudo porque não estava imaginando esta saída, esta volta agora para Portugal", explicou Eric Faria.

Outro jornalista do mesmo canal, o conceituado Galvão Bueno, apesar de reconhecer a qualidade do trabalho do Jesus, deixou alguns reparos ao técnico e ao Benfica. "Quem se lembra dele dizendo: 'Saio para clubes que cabem nos dedos de uma das mãos'? Ou seja, seriam os cinco maiores, de grande destaque, um direito inteiro que ele tem. Com todo respeito ao Benfica, não me parece que o Benfica seja um desses dedos de uma das mãos. Eles mudam constantemente, mas você fica na Inglaterra, você tem Manchester United, Manchester City, Liverpool, Bayern de Munique, da Alemanha... Não seria o caso do Benfica. Ele fez uma promessa e, entre aspas, assumiu um compromisso moral com a direção e com o clube que, para mim, acabou por não cumprir", vincou o Galvão Bueno.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.