Nove das 11 associações regionais de futebol de Cabo Verde pediram uma assembleia-geral extraordinária na Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF), para analisar a atual situação do futebol no país e pedir a demissão do presidente, Vítor Osório.

A informação foi avançada hoje à agência Lusa pelo presidente da Associação Regional de Futebol de Santiago Sul (ARFSS), Mário Avelino, indicando que o pedido foi entregue ao presidente da Assembleia Geral na terça-feira.

Segundo o dirigente associativo, o pedido foi subscrito por nove associações regionais, ficando a faltar as do Sal e de Santo Antão Norte.

Mário Avelino disse que o objetivo das associações é analisar a situação atual do futebol cabo-verdiano, após uma queda de 31 lugares da seleção no ‘ranking’ da FIFA e do impasse no término do campeonato nacional.

O presidente da ARFSS afirmou que a seleção nacional de Cabo Verde está "uma trapalhada" e a federação mostra "incompetência" e não consegue organizar nenhuma competição como deve ser.

Em causa, prosseguiu, está o impasse no término do campeonato nacional, em que a federação prorrogou a época desportiva e mandou repetir os dois jogos das meias-finais entre Ultramarina de São Nicolau e Mindelense de São Vicente, mas as duas equipas estão contra e ameaçam não jogar.

O nacional de futebol cabo-verdiano chegou a este ponto porque o jogo da primeira mão das meias-finais não foi realizado no início de junho, já que, depois de dois adiamentos, na terceira data prevista não apareceram as chaves para abrir os portões do estádio em São Nicolau.

A FCF instaurou um processo disciplinar à Ultramarina, mas o Conselho de Disciplina (CD) da FCF considerou "improcedente" a queixa, concluindo que não ficou provada que o clube teve intenção de esconder as chaves.

O Mindelense também apresentou um recurso, mas o Conselho de Justiça da FCF negou provimento ao mesmo.

Entretanto, mesmo sem se realizar o jogo da primeira mão em São Nicolau, a FCF marcou o da segunda mão em São Vicente, em que a Ultramarina venceu o Mindelense por 2-0.

Agora, enquanto a Ultramarina quer disputar apenas o jogo da primeira mão, o Mindelense diz que a razão está do seu lado e só quer jogar com o Sporting da Praia, o único finalista até agora conhecido, após eliminar a Académica do Porto Novo nas meias-finais.

Mário Avelino considera que tudo isso aconteceu por culpa da federação, pelo que pede a demissão do presidente, Vítor Osório, quem considera está fragilizado psicologicamente.

O dirigente da maior região desportiva do país critica a "confusão" à volta do futebol cabo-verdiano, considerando que é preciso "diálogo e diplomacia", mas também "respeito" pelas leis.

A federação ainda não avançou uma data para a realização dos dois jogos da meias-finais.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.