A equipa do Batuque, de São Vicente, sagrou-se tricampeã de futebol em sub-17, ao vencer na final a EPIF- Praia por 7-6, no desempate pela marca de grandes penalidades, em jogo realizado no Estádio da Várzea, na cidade da Praia.

O resultado no final dos 80 minutos regulamentares foi de um empate a zero, pelo que, à luz do regulamento da prova, foi preciso encontrar o vencedor através da lotaria de grandes penalidades.

No final, a festa foi toda ela para a equipa de São Vicente que fez o pleno ao conquistar três campeonatos noutras tantas edições, pelo que o treinador Djodje considerou tratar se de fruto de uma organização que aposta «sobretudo no trabalho de formação».

Emocionado por mais esta vitória, Djodje fez questão de dar os parabéns pelo trabalho levado a cabo pela Associação de Santiago Sul, sobretudo pelo seu presidente Mário Donnay Avelino que, segundo disse, demonstrou, uma vez mais, o espírito de muita determinação à causa do desporto cabo-verdiano.

Já o técnico da EPIF estava resignado por ter perdido a final, “no desempate”, pois considera que o clube da Praia merecia outra sorte, o que a seu ver, seria um incentivo para os seus jogadores que abandonaram o relvado em lágrimas.

Para além dos troféus de campeão (Batuque) e vice-campeão, a organização premiou ainda o futebolista da EPIF, Yuri, com o troféu do Melhor marcador, o guarda-redes do Batuque, Mauro, com a taça do Guarda-redes menos batido e a equipa da Boa Vista com a Taça Fair-Play.

O presidente da ARFSS, Mário Donnay Avelino, estava satisfeito por mais esta realização, pelo que diz sentir-se realizado.

A final iniciou com um minuto de silêncio como homenagem ao antigo árbitro e ativista Osvaldino Vieira Andrade, que também integrava a organização desta terceira edição do Campeonato de Cabo Verde, falecido esta sexta-feira na cidade da Praia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.