O antigo futebolista Carlos Andrade, conhecido por “Gaiado” diz sentir-se “honrado” por o seu nome ser dado ao Polivalente de Eugénio Lima, bairro dos arredores da cidade da Praia.

Para Gaiado, que esteve ausente no dia do descerramento da placa (15 Fevereiro), por motivos profissionais, essa homenagem significa uma “grande responsabilidade e um sinal de reconhecimento”.

“Isso demonstra que sou uma referência para os mais jovens e mesmo para os adultos por isso vou continuar a trabalhar para o desenvolvimento do futebol em Eugénio Lima”, notou.

Neste sentido salientou o facto de a escolha do nome ser feito através de um abaixo-assinado rubricado pela maioria dos moradores do bairro, o que, segundo ele, demonstra a confiança e o carinho das pessoas de Eugénio Lima.

Por isso garantiu que vai ser um dos “guardiões” da infra-estrutura que leva o seu nome fazendo parte da comissão de gestão criada para “tomar conta” do recinto.

O homenageado lembrou que antes da reabilitação o recinto estava completamente “abandonado”, sem portão e com tapete descolado.

“Arrebentaram o portão, danificaram o piso e eu tinha que comprar a cola com dinheiro do meu bolso para colar o piso”, denunciou Gaiado, defendendo que a criação de uma comissão para gerir o polivalente que leva o seu nome é a melhor decisão.

Enquanto futebolista Gaiado representou as equipas do Andorinha, Delta, Boavista, Sporting, Delta e Kuminudade, onde terminou a carreira.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.