As equipas do Sporting e Nô Pintcha disputam, neste domingo, a Supertaça da Brava, em futebol, referente à época 2019/20, no estádio municipal Aquiles de Oliveira.

Numa antevisão do jogo à Inforpress, o treinador da equipa do Sporting, Ney Lokô, avançou que a sua equipa sempre participou para vencer em todas as provas, mesmo sabendo das dificuldades, tendo em conta que o seu adversário está a trabalhar com o mesmo objectivo e a sua equipa é um “alvo” a abater, por ser campeã da ilha e da taça.

O mesmo reconheceu que estão atrasados em relação às outras comgeneres, pois, adiantou que tiveram alguns constrangimentos em formar a equipa devido a algumas mudanças, alguns jogadores iniciaram o treino na segunda-feira, tendo assim a plena consciência do estado do seu time.

Segundo o mesmo, estão com um plantel de 18 jogadores, mas estão a trabalhar para reforçá-lo e acrescentou que diferentemente da época anterior, este ano o plantel é constituído na maioria por jogadores bravenses.

Lôko, adiantou ainda, que a Supertaça é uma final e o que é “extremamente indispensável” é trabalhar a parte psicológica dos jogadores e partir de antemão que o jogo não vai ser fácil, mas a expectativa é “vencer”.

Já o treinador do Nô Pintcha, Adilson Bango diz que a sua equipa encontra-se organizada e preparada, tendo já cerca de um mês de treino, para a disputa do jogo da Supertaça da Brava, sendo que é o primeiro troféu da época.

O objectivo, segundo o mesmo, é disputar para vencer.

Em termos de plantel salientou que é “equilibrado com qualidade e uma quantidade suficiente” de jogadores. Além disso, acentuou que o plantel é constituído 100 por cento (%) de jogadores da ilha, num total de 27 atletas.

Ambos os treinadores pedem aos seus atletas que disputem o jogo com fair play e muita dedicação.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.