O selecionador da equipa principal de Cabo Verde, Rui Águas, disse que a seleção residente teve uma boa prestação frente à Mauritânia, no empate em casa, e enalteceu o facto de não ter sofrido golo no Estádio Nacional.

“Penso que fomos melhores que a Mauritânia. O pessoal portou-se muito bem, bateu-se bem. Houve um bom ambiente no estádio que também foi importante. Empatou-se, mas podia ter ganho e está aberto para a segunda mão”, explicou Rui Águas na sua leitura de jogo à Inforpress.

Espectador atendo deste jogo referente à jornada primeira da eliminatória inaugural para o CHAN’2020, Rui Águas, que acompanhou a fase de preparação do combinado residente, afirmou que seria importante Cabo Verde vencer, porque dava um conforto maior, mas que terá agora de trabalhar para marcar na sua deslocação à Mauritânia.

Sublinhou que Cabo Verde poderá ter vantagem em Nouakchott, pois que qualquer deslize do adversário em casa pode ser fatal, tendo recordado que esta seleção crioula residente teve pouco tempo de trabalho conjunto, o que, pela sua experiência internacional, torna-se difícil fazer melhor.

“Há que valorizar aquilo que foi feito”, observou Rui Águas, timoneiro da seleção principal de Cabo Verde que, atestou, esperava mais da Mauritânia que, a seu ver, privilegiou muito anti-jogo e bola longa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.