O treinador da União Desportiva de Santo Crucifixo, Jorge Fonseca, manifestou a sua total satisfação pela conquista da Taça de Cabo Verde, o primeiro título nacional para a história de Santo Antão em futebol.

Na hora da consagração neste “feito histórico”, que teve como palco o Estádio Nacional, em Achada de São Filipe, na Cidade da Praia, onde o Santo Crucifixo bateu na final o Grupo Desportivo Palmeiras do Sal por 3-2, o técnico da formação ribeira-grandense disse que “este é o título que faltava à ilha de Santo Antão”.

Jorge Fonseca acrescentou que esta proeza vem na sequência de “outras boas tentativas feitas por outras equipas de Santo Antão, que tudo fizeram para estar na primeira linha do futebol cabo-verdiano”, mas que desta feita concretizou o facto, pelo que dedicou o ceptro a todos os atletas, técnicos, dirigentes e massa adepta de todos os clubes da ilha das montanhas.

O técnico afirmou que Santo Crucifixo trabalhou e muito para “fazer esta festa grande e rija, e logo na sua primeira aparição neste espectacular Estádio Nacional”, ressalvando que o seu clube deixou pelo caminho clubes emblemáticos como o Mindelense (São Vicente), a Académica da Praia e o Marítimo do Porto Novo.

Já o treinador do Grupo Desportivo Palmeiras mostrou-se triste e muito abalado com a derrota na final, alegando que o seu conjunto praticou melhor futebol na final, que teve o jogo nas mãos, mas falhou na finalização, tendo pela frente uma equipa “organizada e muito certíssimo nos momentos decisórios”.

Ainda assim, Gigi Fortes encontrou força para elogiar a forma com os seus jogadores renderam cara a derrota, ao mesmo tempo que fez questão de endereçar os seus parabéns aos actuais vencedores da Taça de Cabo Verde, pelo título conquistado.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.