A confirmação da Argélia como candidata ao título e o prosseguir da 'aventura' de Madagáscar são as notas de destaque de hoje da Taça das Nações Africanas de futebol (CAN), que se encontra na fase dos oitavos de final.

Surpreendentes mesmo, nesta CAN2019, são os 'zebus' de Madagáscar, que na sua estreia na competição avançam para os quartos, após deixarem pelo caminho a RD Congo, através do desempate por penáltis.

Numa competição já 'órfã' do campeão, os Camarões, mas também do país organizador, o Egito, as apostas na Argélia começam a justificar-se cada vez mais - hoje, afastaram a Guiné-Conacri por 3-0, com uma exibição autoritária.

Belaili (24), Mahrez (57) e Ounas (82) fizeram os golos da formação magrebina, que soma por vitórias os quatro jogos disputados, sem sofrer qualquer golo.

As 'raposas do deserto' esperam agora pelo vencedor do jogo entre Mali Costa do Marfim, que defrontarão quinta-feira já com a clara imagem de favoritos.

No Cairo, os pupilos de Djamel Belmadi foram sempre um conjunto mais forte que o adversário, esse sim o verdadeiro 'outsider' dos oitavos de final.

A desconcertante ausência do último Mundial e a péssima prestação da CAN anterior colocavam naturalmente a Argélia agora numa segunda linha, o que mais coloca em destaque o bom futebol dos argelinos.

A Guiné-Conacri pode queixar-se da ausência do seu estratego, Naby Keita, lesionado nos adutores, o que não chega para justificar a diferença de qualidade do jogo.

A Argélia alternou períodos de jogos de grande atividade com outros monótonos, mas, quando esteve bem, fez golos. E confirmou a qualidade do seu banco, com Adam Ounas a marcar apenas cinco minutos depois de lançado no jogo.

Mais emoção em Alexandria, com o jogo a chegar até aos penáltis, após 2-2.

Adiantaram-se os malgaxes, com o golo de Ibrahim Amada, aos nove minutos, empataram os congoleses aos 21, com o cabeceamento de Cédric Bakumbu.

Na segunda parte, Faneva Andriatsima, capitão de Madagáscar, deu nova vantagem aos 'zebus', aos 77, mas o sonho da qualificação seria travado momentaneamente, aos 90, com o empate de Chancel Mbemba, defesa do FC Porto, que saltou mais alto que todos para cabecear para as redes.

Mbemba teve ocasião para o 3-2, ao minuto 100, também de cabeça, mas o jogo persistiu no 2-2 até ao final dos 120 minutos.

Concretização total nos penáltis para Madagáscar, enquanto pela RD Congo Marcel Tisserand e Yannick Bolasie atiraram por cima, para o 4-2 final.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.