O Senegal disputa esta sexta-feira a final da CAN2019 diante da Argélia no Cairo, Egipto, e sonha conquistar o seu primeiro título com jogadores de nível internacional como Sadio Mané e um técnico "experiente" depois de anos de desilusões.

Primeiro país africano no ranking da FIFA, onde ocupa o 22.º lugar, o Senegal espera conquistar o seu primeiro grande título e apagar um registo negativo em finais.

Os "Leões de Teranga" até hoje jogaram apenas uma final da CAN, perdida nas grandes penalidades contra os Camarões em 2002, no Mali. Naquele ano, os senegaleses surpreenderam no Mundial 2002 ao derrotar a campeã do mundo França, mas acabariam eliminados aos 94 minutos nos quartos de final pela Turquia.

Dezessete anos depois, a "geração 2002" continua a ser a grande referência no Senegal, onde o fraco histórico de títulos da seleção contrasta com a importância do futebol no imaginário coletivo e com as exibições de vários jogadores senegaleses nos principais campeonatos europeus.

Figura de destaque da geração 2002, da qual também faz parte o técnico Aliou Cissé, o ex-avançado El Hadji Diouf acredita que a vitória tão esperada na cena continental "não está muito longe". "Queremos ganhar e, se Deus quiser, esse sonho vai-se tornar realidade. Eu sempre rezei para que meus jogadores façam melhor do que eu".

"Na sexta-feira, vamos jogar a nossa desforra contra a Argélia", que derrotou Senegal (0-1) na fase de grupos, afirma com confiança, Mor Guèye, um operário da construção civil de DaKar, de 19 anos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.