Um dia depois da derrota com a Espanha (0-4) na final do Euro 2012 em futebol, o selecionador italiano, Cesare Prandelli, confessou-se hoje «orgulhoso» pelo que a sua equipa fez, mas pediu «mudanças para o futuro».

Num encontro com a imprensa, na “Casa Azurri” de Cracóvia, antes do regresso a Itália, Cesare Prandelli referiu a necessidade de ser dada «continuidade ao trabalho para que ele possa produzir frutos a médio prazo».

«Somos um país velho, com métodos e estruturas velhas, que temos necessidade de alterar. Pode ser um exemplo para o país. É um projeto ganhador para todo o futebol, mas convencer toda gente disso...», referiu Prandelli, deixando entender algum ceticismo sobre a criação de condições para pôr em prática as suas ideias.

Não obstante as dúvidas que deixou transparecer, mostrou-se decidido a levar até ao fim o projeto que iniciou na seleção transalpina: «Os resultados não devem condicionar as ideias. Não devemos dar passos atrás. É isso que mais me preocupa».

Segundo Prandelli, há um «projeto técnico» em curso na Federação Italiana de Futebol: «Tentaremos recrutar os novos ‘Pirlos’, mas se não jogam é difícil que progridam. Além disso, pediremos mais tempo para trabalhar com eles, a cada dois meses, para avaliar os seus progressos».

«O nosso próximo jogo é um ‘amigável’ com a Inglaterra, que se jogará a 15 de Agosto, mas poucos dias antes disputa-se a Supertaça de Itália, entre a Juventus e o Nápoles, em Pequim. É complicado. Quando digo que a seleção é passada para segundo plano, estou a dizer a verdade», comentou.

Fazendo um balanço sobre o Euro 2012 para a Itália, mostrou-se satisfeito pelo facto da “squadra azzurra” ter ido «mais longe no plano desportivo e praticado um futebol agradável, que fez sonhar os italianos», quando as expetativas, à partida, «eram baixas».

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.