Os comissários europeus vão estar ausentes dos jogos do Euro2012 agendados para a Ucrânia, em protesto pelo tratamento dado à ex-primeira-ministra ucranicana Iulia Timochenko, presa por abuso de poder, foi hoje anunciado.

«Como é sabido, o presidente [da Comissão Europeia] José Manuel Durão Barroso não pretende viajar para a Ucrânia ou visitar algum dos recintos [no país] do Euro 2012. A posição é partilhada por todos os comissários europeus», declarou o chefe da missão da União Europeia em Kiev.

O responsável anunciou a intenção de Bruxelas na página Facebook da delegação.

Iulia Timochenko está a cumprir uma pena de sete anos de prisão, por abuso de poder quando chefiava o governo.

A ex-primeira-ministra foi condenada, em 2011, a sete anos de prisão, por abuso de poder, num julgamento que observadores ocidentais consideraram um processo político contra a antiga rival de Ianukovitch.

Desde 20 de abril que Timochenko iniciou uma greve de fome, recusou-se a ser transferida da prisão de Kahrkov para um hospital local e acusou a polícia de agressão.

Vários médicos estrangeiros consultaram a líder da oposição ucraniana e concluíram que necessita de tratamento hospital fora da prisão, mas Timochenko recusa-se a ser tratada na Ucrânia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.