Daúto Faquirá acompanhou com atenção a divulgação da convocatória de Portugal para o Euro2012. O treinador admite que há sempre espaço para discussão, mas na sua opinião Paulo Bento fez as escolhas certas.

«Dentro do quadro de jogadores disponíveis e do lote de jogadores disponíveis, esta convocatória acaba por ser consensual. Há um ou outro nome que possa gerar discussão, mas o selecionador mantém uma linha de coerência na sua atuação e penso que isso é mais uma vez visível.»

Daúto diz perceber as convocatórias de Custódio e Miguel Lopes, «pela boa reta final de campeonato» dos dois jogadores, e diz mesmo que o médio do Sporting de Braga pode ser uma das armas mais úteis de Paulo Bento na prova que decorre na Polónia e Ucrânia.

«O Custódio é um 6 puro, muito útil à equipa e para o qual a seleção não tem outro semelhante. Se precisarmos de jogar de uma forma diferente, o Custodio pode ser uma arma a utilizar.»

O antigo treinado do Olhanense reconhece o grupo complicado que calhou em sorte aos portugueses e diz que o primeiro jogo é decisivo.

«Se olharmos para os nossos resultados em termos estatísticos frente aos adversários que vamos defrontar, constatamos que estamos longe de poder dizer que os jogos serão fáceis. O que julgo que é consensual é que o primeiro jogo é de grande importância. Em caso de vitória, e até mesmo de empate, as nossas possibilidades na competição podem crescer imenso.»

Ainda assim, Faquirá frisa que é necessário não entrar em euforias e que Portugal tem de ter noção de que há adversários mais credenciados na competição.

«Temos de ter a noção de que não estamos no naipe das melhores equipas europeias. Aí, estão conjuntos como a Alemanha e a Espanha. Mas o Europeu é um torneio muito curto, muito rápido e onde tudo pode acontecer», termina.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.