O antigo presidente da Federação Portuguesa de Futebol (FPF), Gilberto Madaíl, admitiu hoje interferências por parte do FC Porto nas convocatórias da seleção portuguesa por uma única vez, pouco antes da meia-final da Liga dos Campeões de 2004.

«Foi a única situação, que eu saiba e até não foi o presidente, mas pessoas ligadas à estrutura do FC Porto. Neste caso, até penso que é legítimo porque tinham jogo passado um dia ou dois», afirmou Madaíl à margem de uma conferência sobre a seleção, em Lisboa.

O ex-selecionador de Portugal, o brasileiro Luiz Felipe Scolari, tinha dito, em entrevista à RTP, que o líder dos “dragões”, Pinto da Costa, «tinha muita influência na seleção».

A única situação que aconteceu foi quando o FC Porto jogou com o Deportivo Corunha, na meia-final da Champions.

«Estavam convocados quatro ou cinco jogadores para um jogo particular da seleção em Coimbra, se a memória não me falha, e foi-nos chamada a atenção para o facto de o FC Porto ir disputar esse jogo, mas o sr. Scolari acabou por convocá-los. Se os pôs a jogar o tempo inteiro isso já não sei. Scolari tem uma personalidade muito forte. Mas agora o que ele venha dizer peca por tardio», continuou Madaíl.

Sobre a não convocatória sistemática do então guardião do FC Porto Vitor Baía, o ex-dirigente preferiu não se alongar em comentários.

«É um assunto com oito anos. Não interessa. Não tinha [conhecimento]. É preciso conhecer bem o sr. Scolari – que deu muito a Portugal, é preciso sublinhar – para se compreender que ele não era pessoa para responder a isso. Convocava quem queria», disse.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.