O selecionador italiano de futebol, Cesare Prandelli, justificou a exclusão do futebolista Domenico Criscito dos convocados para o Euro2012 com a «pressão desumana» que iria enfrentar durante a competição.

Criscito tinha sido sujeito a um mandado de busca levado a efeito pela polícia na madrugada de segunda-feira, na sequência de uma investigação conduzida pelo Ministério Público de Cremona por resultados combinados.

Prandelli e a Federação Italiana de Futebol agiram com rapidez ao decidirem afastar o jogador da seleção, alegando que o faziam para «defesa do próprio» Criscito.

«Não levo Criscito porque ele passou por uma pressão desumana, que nenhum ser humano pode suportar. Ele não está sereno. A outra razão é que ele poderia ser chamado pelo procurador a qualquer momento, antes de um jogo», disse o técnico.

A Itália integra o grupo C do Euro 2012, juntamente com a Espanha, atual detentor do título, a Croácia e a República da Irlanda.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.