O futebolista Ricardo Carvalho pode vir a ser suspenso entre um a três meses por ter abandonado o estágio da seleção e, eventualmente, impedido de jogar nesse período pelo Real Madrid nas competições da UEFA.

Se for punido no processo disciplinar que lhe vai ser instaurado pela Federação Portuguesa de Futebol (FPF), o jogador do Real Madrid ficará impedido de jogar em Portugal, podendo a sanção ser extensiva às provas organizadas pela UEFA, caso a FPF o solicite ao organismo que rege o futebol europeu.

«Em caso de punição no processo disciplinar, a federação pode solicitar ao comité de disciplina da UEFA que confira efeitos externos à decisão interna», disse à agência Lusa José Manuel Meirim.

O professor de direito desportivo referiu que, caso a UEFA aceda ao eventual pedido da FPF, «os efeitos da suspensão projetam-se nas competições organizadas pela UEFA», Liga dos Campeões e da Liga Europa.

Segundo o artigo 74.º do regulamento disciplinar da UEFA, «o comité de controlo e disciplina pode adotar sanções impostas pela FIFA ou por membros do organismo, a pedido destes, sobre atos cometidos nas respetivas jurisdições».

José Manuel Meirim afirmou ainda que a renuncia à seleção, anunciada pelo jogador depois de ter abandonado sem justificação o estágio em Óbidos, «não tem qualquer efeito sobre o processo disciplinar ou sobre a eventual suspensão».

De acordo com os regulamentos da FPF, Ricardo Carvalho ficou automaticamente suspenso por um período de 12 dias, a contar desde quarta-feira, dia em que deixou o estágio de preparação para o jogo com o Chipre do grupo H de apuramento para o Euro2012.

O defesa internacional português abandonou quarta-feira o estágio, antes da partida para o Chipre, tendo emitido depois um comunicado a anunciar a renúncia à seleção.

Na quinta-feira, no Chipre, o selecionador Paulo Bento acusou o jogador, de 33 anos, de ter «desertado» da equipa nacional e garantiu que não voltará a convocar Ricardo Carvalho enquanto ocupar o cargo.

O vice-presidente da FPF, Amândio de Carvalho, confirmou hoje no Chipre que o jogador vai ser alvo de um processo disciplinar, durante o qual será ouvido.

«Quando chegarmos a Lisboa retomaremos as conversações e será determinado os passos a seguir. O regulamento das seleções e no disciplinar prevê esta situação, tanto para defender como atacar. Agora, ninguém poderá ser condenado sem ser ouvido», explicou Amândio de Carvalho, em declarações à RTPN.

Ao serviço da seleção, na qual se estreou em dezembro de 2003, Ricardo Carvalho disputou 75 jogos, tendo estado presente em dois Europeus e dois Mundiais.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.