A Ucrânia não se deixará "humilhar" pela decisão tomada pelos líderes europeus de boicotar o Europeu 2012, devido às condições de detenção da ex-primeira-ministra ucraniana Yulia Timoshenko, afirmou nesta segunda-feira o presidente Viktor Yanukovich.

«É importante que não sejamos humilhados. Não permitiremos isso», disse o mandatário em Donetsk (leste), onde inaugurou um novo terminal aeroportuário construído para o Euro 2012.

«Somos hospitaleiros e sinceros. Receberemos aqueles que quiserem vir à Ucrânia com prazer. Quem tiver razões para não vir à Ucrânia, será por questões pessoais», acrescentou.

A Comissão Europeia anunciou que nenhum comissário viajará à Ucrânia para a Eurocopa 2012, organizada conjuntamente de 8 de junho a 1 de julho com a Polónia, e vários países europeus ameaçaram fazer o mesmo.

Os ministros das Relações Exteriores da UE foram unânimes ao classificaram de «inaceitáveis» as condições de detenção de Timoshenko, mas consideraram inoportuno o atual plano de boicotar a Eurocopa 2012.

Este assunto provocou uma crise entre Kiev e a UE. Dez presidentes europeus boicotaram na semana passada uma cimeira na Ucrânia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.