Os cabo-verdianos desejam sorte a Portugal na final de domingo do Euro2016 de futebol, mas mostram-se divididos em relação ao vencedor do jogo com a França.

José 'Zela' Almeida, 49 anos, não tem dúvidas: Portugal vai ganhar, mesmo sabendo que a França estará a jogar em casa, perante o seu público.

"Às vezes, mesmo em casa, alguém pode perder a guerra", disse Zela, antigo internacional cabo-verdiano nos anos 1980 e que atuouem equipas da cidade da Praia, como o Sporting, Boavista, Travadores, Desportivo e Vitória.

Em declarações à agência Lusa, Zela disse que Portugal está moralizado por ter chegado à sua segunda final de um europeu de futebol e que, para ganhar, os jogadores têm de jogar para o coletivo e não para o individual.

Se Portugal ganhar, o antigo jogador da seleção cabo-verdiana garante que vai festejar nas ruas da cidade da Praia. "Ou perder ou ganhar, o português é a minha língua, tenho que acompanhar Portugal sempre", disse.

Quem também acredita na vitória portuguesa na final do Euro2016 é Barusco, 28 anos, jogador da equipa do Bairro Craveiro Lopes, apesar de afirmar que aprecia o francês Paul Pogba.

"A final será um bom jogo, mas Portugal vai ganhar nos penáltis", previu o atleta, dizendo que apoia particularmente Cristiano Ronaldo e esperar que ganhe e colecione mais um recorde na sua carreira pessoal.

"Quero que o Cristiano Ronaldo volte a ganhar a bola de ouro de melhor jogador do mundo", prosseguiu, recordando que chorou quando o jogador do Real Madrid marcou de cabeça o primeiro golo na meia-final frente ao País de Gales.

"Foi um golo do outro mundo. Pensas que ele tem asas nas costas. Ele não é normal. É uma máquina humana", elogiou, dizendo que Portugal vai jogar sem pressão e que os muitos adeptos que vão apoiar a França poderão ser um tónico para a equipa portuguesa.

Por sua vez, José Luís Lopes, mas conhecido por Djosa, 66 anos, disse à Lusa que chegar à final já é "ótimo" para Portugal e para toda a Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), pelo facto de a seleção ter jogadores descendentes de cabo-verdianos, como Nani, Renato Sanches e Eliseu.

"Engrandece e valoriza e é até um orgulho para os cabo-verdianos, que têm uma certa mistura com Portugal", disse o sexagenário, morador no bairro de Achada Santo António, o mais populoso da cidade da Praia.

Quanto ao resultado final, Djosa é mais cético, mas disse que será um bom jogo. "Portugal poderá ganhar, porque a França vai jogar sob pressão. Tudo vai depender da forma como Portugal entrar no jogo", afirmou.

Apoiante confesso da Alemanha - seleção eliminada pela França nas meias-finais -, Van Spencer, 28 anos, natural de São Vicente, afirmou que a França será a vencedora do europeu.

"A França é uma seleção forte, motivada e está a jogar em casa. Acho que não vai perder o jogo e vai fazer igual a 1998, ano em organizou o Mundial e venceu", prognosticou, dizendo que é o momento alto para esta geração de franceses.

Van Spencer espera também que seja um bom jogo, como muitos golos, e aposta num 4-3 a favor da França, após prolongamento.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.