O primeiro-ministro francês, Manuel Valls garantiu hoje que o Campeonato da Europa de futebol vai mesmo disputar-se em França, como o previsto, entre 10 de junho e 10 de julho, apesar da ameaça terrorista.

“Repetimos o que dizemos há vários meses: a ameaça terrorista sempre esteve nas nossas ponderações”, reiterou Manuel Valls ao diário desportivo L’Equipe, manifestando-se convicto de que a UEFA, responsável máxima pelo torneio, também não admite cancelar a prova.

Para o primeiro-ministro francês, o cancelamento do Euro2016 “seria uma derrota” e que todos os eventos previstos para território gaulês “são uma bela resposta a esta ideologia de morte”.

“Temos de ser prudentes e continuar mobilizados. A França é um país livre”, sublinhou Manuel Valls.

Na véspera, depois dos atentados terroristas em Bruxelas, reivindicados pelo grupo extremista Estado Islâmico e que causaram a morte de pelo menos 34 pessoas e feriram 200, o presidente da Federação Francesa de Futebol, Noel Le Graet, também tinha garantido que o Euro2016 não estava em perigo.

“Nunca existe um risco zero. O Estado francês, a federação e a UEFA partilham a firme vontade de acolher de forma agradável e sem risco para os milhões de pessoas que querem assistir aos jogos”, disse na sexta-feira o presidente da federação gaulesa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.