Cristiano Ronaldo esteve muito longe do seu melhor no encontro com a Polónia no que toca à finalização, mas Fernando Santos desvaloriza as constantes comparações entre o "Ronaldo do Real Madrid" e o "Ronaldo da seleção", preferindo destacar o trabalho do jogador como capitão.

"Não se deve comparar o Ronaldo do Real e o da seleção. Há um Ronaldo fantástico na seleção, com o qual estamos muito satisfeitos. É um exemplo para a equipa, tem feito um trabalho fantástico. O Cristiano do Real é uma observação para os outros fazerem. Este altruísmo do capitão é um exemplo do que é a seleção", disse o técnico em conferência de imprensa este sábado.

Uma das imagens mais marcantes do encontro com a Polónia foi o momento em que Ronaldo "obrigou" Moutinho a bater uma das grandes penalidades, quando o médio demonstrava pouca confiança para tal. Segundo Fernando Santos, esta foi mais uma demonstração do trabalho de Ronaldo enquanto capitão de equipa.

"O João é um dos elementos que habitualmente está definido para marcar penáltis", explicou o técnico. "Ele sentia algum desconforto na perna, contou isso e o Cristiano disse, numa atitude de capitão que ele marcava bem, e que ia marcar. E marcou".

Ainda sobre Cristiano Ronaldo, o selecionador apostou numa maior eficácia do avançado no duelo com o País de Gales, das meias-finais: "Os melhores do mundo, e neste caso o melhor, também não marcam sempre. Tenho a convicção de que no próximo jogo lá estará ele".

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.