Fernando Santos recusou hoje que haja excesso de confiança na seleção portuguesa de futebol, após o apuramento para a final do Euro2016, e frisou que Portugal está totalmente ciente do que deve fazer para alcançar o sucesso.

No dia seguinte ao triunfo sobre o País de Gales (2-0) nas meias-finais, o selecionador voltou a abordar várias questões numa conversa informal com os jornalistas, entre as quais o possível deslumbramento da equipa pelo feito.

"Não há festa nenhuma. Houve uma celebração normal. É a segunda vez que Portugal está numa final, a primeira fora de portas. A celebração lá (em Lyon) foi normal, porque é o extravasar de sentimentos que estão acumulados. Depois, no avião, houve fotografias, mas a partir dali terminou e eles estão completamente concentrados em preparar a final", afirmou.

Fernando Santos salientou que não há "presunções" no seio da equipa e que os jogadores estão conscientes do caminho que os poderá levar ao sucesso.

"Esta equipa tem uma identificação clara com a sua realidade e os jogadores sabem o que os pode levar ao objetivo. Não há qualquer tipo de presunções", vincou.

De resto, o técnico enalteceu o espírito da equipa que comanda e a forma como os jogadores têm ultrapassado as críticas.

"Todos os 23 comungam do mesmo sentimento, estejam ou não em campo. Existe um laço forte. Quando surgem críticas, eles ouvem e leem, mexe com alguns deles e isso poderia descambar, mas não acontece. Demonstra o grande espírito desta equipa. Eles não permitem que as coisas menos boas deixem sequelas", referiu.

Por outro lado, com a final de domingo a aproximar-se, Fernando Santos defende que Portugal deve "orgulhar-se" da sua história e "não deve ter medo de outros países", apesar de o histórico contra França e Alemanha ser claramente desfavorável ao conjunto luso.

"De certeza absoluta que não influencia nada. Estamos a falar de jogadores que estão habituados a jogar na Liga dos Campeões", adiantou, antes de admitir ser "crente" e acreditar em "milagres", embora frisando que nunca viu "um milagre acontecer sem ninguém fazer nada".

Na quarta-feira, em Lyon, Portugal venceu o País de Gales, por 2-0, com golos de Cristiano Ronaldo, aos 50 minutos, e Nani, aos 53, e alcançou a segunda final da sua história, depois da presença na decisão de 2004, que culminou com uma derrota diante da Grécia, em solo luso.

A ‘equipa das quinas’ fica também hoje a conhecer o adversário que vai defrontar na decisão do Europeu, que surgirá do jogo entre França e Alemanha, que vai decorrer em Marselha.

A final do Euro2016 está marcada para domingo, no Stade de France, em Saint-Denis, arredores de Paris.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.