As forças da ordem francesas detiveram 1.550 pessoas durante o Campeonato Europeu de Futebol, desde que começou, no passado dia 10 de junho, indicou hoje o ministro francês do Interior, Bernard Cazeneuve.

Entre os detidos, 891 permanecem sob detenção e 59 foram condenados, de acordo com o balanço final do torneio, durante o qual foram expulsas do país 64 pessoas, em particular, “hooligans” violentos implicados nos distúrbios em Marselha que antecederam o Inglaterra-Rússia.

Estes incidentes, os mais intensos em toda a competição, fizeram da segurança “uma prioridade aboluta”, nos termos do governante francês, que a considerou “um sucesso”, de acordo com a agência Efe.

O ministro lembrou que o dispositivo de segurança do Europeu envolveu a mobilização de 90 mil pessoas, entre as quais, 72 mil polícias e agentes paramilitares.

Cazeneuve sublinhou ainda que o campeonato se realizou num “contexto de ameaça terrorista elevada”, que obrigou o Estado, todos os organizadores e as cidades que acolheram os jogos a preparem o dispositivo necessário para evitar incidentes.

A ameaça, acrescentou o governante, continua em plena abertura da época estival e numa altura em que decorre a Volta a França em bicicleta, motivo pelo qual o ministério francês do Interior “se mantém extremamente vigilante”, garantiu o titular da pasta.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.