O secretário de Estado das Comunidades Portuguesas repudiou hoje a violência de que foram alvo seis adeptos portugueses, após a final do Euro2016, em Paris, capital francesa, elogiando o seu “exemplo de civismo”.

De acordo com as informações do Governo, seis apoiantes da seleção portuguesa foram vítimas de um “ataque”, às 02:00 de domingo, na Rua Saint-Charles, em Paris.

“Os agressores utilizaram facas e tacos de basebol e estavam aparentemente ‘muito alcoolizados’”, refere a Secretaria de Estado, em declarações escritas enviadas à Lusa através do assessor de imprensa.

O consulado português em Paris contactou a Polícia Judiciária do 3.º Distrito da cidade, que informou que o caso está “em fase de instrução” e que já foram ouvidos quatro “agredidos”, todos com documentação francesa. A Secretaria de Estado desconhece se se trata de cidadãos com dupla nacionalidade, “mas tudo leva a crer que será o caso”.

Os outros dois “agredidos” ainda não foram ouvidos por se encontrarem hospitalizadas, um dos quais em “estado mais grave”, cuja família confirmou a nacionalidade portuguesa e adiantou que “o estado clínico melhorou”, tendo já saído do coma.

O Governo português não tem ainda informação sobre a identidade e a nacionalidade dos agressores, mas “está a par da situação e em contacto com os familiares para apoiar no que for necessário”.

A procuradoria de Paris explicou hoje à Lusa que "os agressores estão em fuga” e que os portugueses não terão sido agredidos por serem adeptos de futebol, tratando-se antes de uma “rixa entre dois grupos de pessoas”.

O que se terá passado é que “indivíduos que tentavam roubar garrafas de álcool num bar” tiveram “uma reação da parte dos clientes que estavam presentes”, entre os quais alguns portugueses, indicou fonte da procuradoria.

“Temos que repudiar todo o tipo de violência. Consideramos inaceitável que um evento desportivo com a importância e a relevância do Euro2016 seja pretexto para episódios de agressões entre adeptos”, afirma o secretário de Estado das Comunidades Portuguesas, José Luís Carneiro, em declarações escritas enviadas à Lusa através do assessor de imprensa.

“É lamentável que, nos festejos depois da vitória na final, a alegria destes seis apoiantes da seleção portuguesa tivesse dado origem a uma reação violenta, sem qualquer justificação”, considera, elogiando o “exemplo de civismo e fair-play” dos apoiantes da seleção portuguesa, durante o Europeu de futebol. “Mereciam consideração na hora de celebrar a conquista do troféu”, observa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.