Quaresma recusa a ideia de que a sua prestação no Euro2016 seja uma "desforra pessoal" contra os que o criticaram. Em entrevista ao ´Diário de Notícias`, o extremo do Besiktas sublinhou que quem o critica é porque não o conhece.

"Mostrei a muita gente que ainda estou bastante vivo. Muita gente já me tinha feito o enterro há muito tempo e, pouco a pouco, tenho mostrado que ainda estou bastante vivo e que ainda tenho muito para dar ao futebol e à seleção [...]. Já começaram a perceber que não sou o 'bad boy', não sou aquela pessoa má que muita gente pintava. Há muita gente que me criticava e que fala de mim sem me conhecer e sem nunca ter estado comigo", disse o jogador de 32 anos.

Ricardo Quaresma lamenta não ter participado em nenhum Mundial de futebol até agora. Um sonho que espera concretizar em 2018.

"Acho que é a única competição em que nunca estive presente. Mas acho que não hei-de acabar a minha carreira sem estar presente num Mundial", disse o jogador, não mostrando qualquer mágoa por quem não o convocou para os últimos Mundiais de futebol.

"Houve muita coisa envolvida e coisas com as quais eu não tinha nada a ver. Paguei por tabela".

Quaresma foi o autor do golo frente a Croácia e que apurou Portugal para os quartos-de-final do Euro2016. Nos ´quartos`, foi ele quem marcou o decsivo penálti frente a Polónia.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.