Portugal tornou-se hoje o 10.º país a conquistar o campeonato da Europa de futebol, ao vencer a anfitriã França por 1-0, após prolongamento, na final da 15.ª edição da prova, disputada no Stade de France, em Saint-Denis.

Doze anos após o desaire caseiro (0-1) com a Grécia, a nona e até agora última seleção a entrar para o palmarés da prova, a seleção das ‘quinas’ somou o seu primeiro título internacional graças a um tento de Éder, aos 109 minutos.

Em sete presenças em Europeus, Portugal soma agora um título, uma final perdida (2004), três eliminações nas meias-finais (1984, 2000 e 2012) e duas nos ‘quartos’ (1996 e 2008), sendo a única formação que nunca caiu na fase de grupos e que acabou mais vezes no ‘top 4’ desde 2000.

Além de Portugal, que venceu o primeiro Europeu com 24 seleções, e da Grécia, somam também um título europeu a União Soviética (1960), a Itália (1968), a Checoslováquia (1976), a Holanda (1988), a Dinamarca (1992) e a Grécia (2004).

Na frente do ‘ranking’, continuam a Alemanha e a Espanha, cada qual com três centros, contra dois da França, sendo que, nas últimas oito edições, sete formações chegaram ao título e apenas a Espanha ‘bisou’.

Os gauleses mantiveram-se em posição intermédia, com os títulos de 1984, em solo gaulês, e de 2000, na Holanda e Bélgica, em ambos após triunfos nas meias-finais sobre a formação das ‘quinas’, que agora se ‘vingou’.

A Alemanha foi a primeira seleção a chegar aos três títulos, conquistados em 1972 e 1980, ainda como República Federal Alemã (RFA), e em 1996, enquanto a Espanha venceu em 2008 e 2012, depois do triunfo caseiro de 1964.

A ‘Mannschaft’ somou o primeiro troféu em 1972, quando, numa decisão a quatro (até 1976), superou a anfitriã Bélgica, nas meias-finais (2-1), e a URSS, na final (3-0), com dois ‘bis’ de Gerd Müller e ‘enormes’ Sepp Maier e Beckenbauer.

Já numa fase final a oito (até 1992), os alemães, liderados por Bernd Schuster e Karl-Heinz Rummenigge, ‘bisaram’ em Itália, em 1980, num percurso finalizado com um triunfo por 2-1 sobre a Bélgica, com um ‘bis” de Horst Hrubesch.

Em 1996, numa fase final a 16 (até 2012), a Alemanha arrebatou o ‘tri’ na pátria do futebol, num trajeto que incluiu um triunfo sobre a anfitriã Inglaterra, na ‘lotaria’, e culminou com uma vitória final por 2-1 sobre a República Checa, selada a ‘ouro’ pelo suplente Oliver Bierhoff.

Por seu lado, a Espanha ganhou o primeiro cetro enquanto anfitriã (Marcelino selou o 2-1 à União Soviética, na final de 1964, no Bernabéu), tendo repetido a façanha 44 anos depois, em 2008, na Áustria e Suíça, com uma vitória final sobre a Alemanha (1-0), graças a um tento de Fernando Torres.

O terceiro cetro foi selado em 2012, em Kiev, onde a Espanha, alicerçada no ‘tiki taka’ do FC Barcelona, conseguiu a maior goleada numa final, entre Europeus e Mundiais, ao bater a Itália por 4-0, com tentos de David Silva, Jordi Alba, Fernando Torres e Juan Mata.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.