França está na final do Campeonato da Europa enquanto coletivo e Antoine Griezmann está perto de ser ‘endeusado’ pelos franceses, mas mesmo dentro de uma equipa de estrelas, há espaço para que alguém brilhar mais do que os restantes.

Este é o caso de Antoine Griezmann. O ‘principezinho’, com alusão à obra de Antoine de Saint-Exupéry tem mostrado neste Europeu que já passou a Rei. Griezmann é o melhor marcador da prova e é dele o mérito de França ter passado à final frente à Alemanha.

Para os mais desatentos, o camisola 7 chega ao Campeonato da Europa depois de uma boa época ao serviço do Atlético de Madrid. Numa liga que tem Ronaldo, Messi, Suárez, Benzema e outros tantos, o avançado francês mostrou serviço e acabou a temporada com 32 golos.

A velocidade com que se movimenta em direção à baliza é um dos pontos mais fortes que podemos colocar nos eu jogo. Forte no drible e com grande controlo de bola, consegue na maioria das vezes decidir bem o próximo passo. Apesar de ainda só ter 25 anos de idade, mostra faro de golo ao nível dos melhores do Mundo. Contra a Alemanha mostrou isso mesmo. Ao mais pequeno erro de Neuer, Griezmann não perdoou e decidiu o jogo para a França.

O avançado sozinho acaba por não fazer nada. Griezmann na frente é apoiado pelo meio-campo francês. À cabeça é imperativo falar de Pogba. Apesar da juventude, o médio da Juventus é uma pedra basilar da equipa francesa. A força que imprime no jogo enquanto mantém a criatividade debaixo da sua alçada é um perigo que Portugal vai enfrentar durante os 90 minutos da final.

Apesar de jogar no ‘miolo’, Pogba descaiu muitas vezes nas alas para dar apoio aos extremos e oferecer linhas de passe. Até a frente chega embora, por norma, fique para as segundas bolas.
O primeiro herói francês na caminhada para o Euro surgiu logo no primeiro jogo. Frente à Romênia, Dimitri Payet

Frente à Romênia, Dimitri Payet decidiu perto do fim o jogo a favor dos franceses. Com um belo pontapé deu os três pontos à sua equipa e colocou-se na ribalta. Vindo do West Ham, de Inglaterra, Payet chegou ao hora depois de uma grande temporada com os ‘hammers’.

No entanto, para muitos, não seria titular. Didier Deschamps apostou mesmo assim francês e teve um bom retorno. Payet joga perto das alas mas não tem dificuldades em desviar para zonas mais interiores. Com uma meia distância forte, pode decidir jogos com um único pontapé. Contudo, nos processos defensivos é raro descer para ajudar o lateral. Mantendo-se sempre perto da baliza dos adversários, acaba por não dar cobertura a lado esquerdo francês e abrir algumas lacunas que Portugal poderá tentar explorar.

Olivier Giroud é um dos jogadores mais controversos da equipa. O avançado do Arsenal não reúne consenso no que toca à sua titularidade, mas tem convencido com golos. É dele o primeiro tento do Campeonato da Europa e logo a demostrar a sua melhor qualidade: o jogo de cabeça. Forte, imponente e com boa impulsão, Giroud é um verdadeiro ‘9’. Com faro de golo e sentido de oportunidade é perigo constante no meio dos centrais. Apesar de saber ‘jogar’ com os pés, o canhoto não é fã do seu próprio pé direito. Tanto em Inglaterra como pela França, o avançado gaulês mostrou que insiste em procurar sempre o melhor pé.

Apesar das estrelas estarem quase todas do meio-campo para a frente, a ‘fortaleza’ de Hugo Lloris está bem segura com Koscielny por perto. O defesa central é o elemento preponderante da defesa gaulesa e parte fundamental da segurança dos ‘blues’. O jogo aéreo e a velocidade de que dispõe tornou-o num dos melhores centrais a jogar em Inglaterra e o Arsenal agradece. Até agora foi titular indiscutível e esse estatuto não deve ser retirado. Portugal pode começar a contar com o defesa francês que já deve ter lugar cativo para a Final de Paris.

Portugal e França disputam no domingo a grande final do Campeonato da Europa. Pelo caminho ficaram fases de grupos, oitavos de final, quarto e meias. No primeiro Europeu com 24 equipas, Portugal vai jogar a segunda final da sua história. Depois de em 2004 ter perdido contra a Grécia no Estádio da Luz, a equipa portuguesa vai enfrentar a França em Saint-Denis.

O encontro não será fácil com grande parte da comunicação social a dar o favoritismo aos franceses. Para além de jogarem em ‘casa’, França já não perde um jogo contra Portugal desde 1975. São mais de 40 anos de história que vão estar em campo no domingo. O pontapé de saída está marcado para as 20h00. Quem vencer será coroado Campeão da Europa.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.