As cidades-sede dos últimos jogos do Euro2020 de futebol devem garantir um melhor acompanhamento da movimentação dos adeptos, antes da sua chegada e após a saída dos estádios, recomendou hoje a Organização Mundial da Saúde (OMS).

“Precisamos de olhar muito além dos estádios”, disse Catherine Smallwood, uma das responsáveis do Departamento de Emergência Sanitária da OMS para a Europa, durante uma conferência de imprensa, questionada sobre as recomendações em face do aumento de casos de infeção pelo novo coronavírus em Londres e São Petersburgo.

Veja o vídeo

São Petersburgo será o palco do jogo dos quartos de final entre a Suíça e a Espanha, na sexta-feira, e Londres recebe as meias-finais (06 e 07 de julho) e a final (11 de julho), em Wembley.

Questionado sobre o risco de que o Euro2020 esteja a desempenhar o papel de ‘contaminador’, no âmbito da pandemia de covid-19, o diretor da OMS Europa, Hans Kluge, disse que espera que não, mas sem descartar essa possibilidade.

Várias centenas de casos de infeção foram detetados em espetadores de jogos do Euro2020, incluindo escoceses que regressaram de Londres, finlandeses provenientes de São Petersburgo ou adeptos no estádio de Copenhaga, que foram considerados portadores da variante Delta.

“O que temos que ver nos estádios é como é que as pessoas chegam lá. Se estão a deslocar-se em comboios, de autocarro ou meios individuais”, realçou Catherine Smallwood.

A OMS Europa pede, por isso, um melhor acompanhamento dos movimentos dos espetadores quando saem dos estádios, e se deslocam a restaurantes e bares movimentados, medida extensível a todos os eventos desportivos de uma forma geral.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.