A seleção portuguesa de futebol vai iniciar na terça-feira a defesa do título no Euro2020, com a obrigação de superar a 'outsider' do Grupo F Hungria, em Budapeste, antes dos embates complicados frente às favoritas Alemanha e França.

Num dia em que germânicos e gauleses medem forças em Munique, o campeão europeu em título terá, à partida, uma estreia acessível na prova, embora os magiares vão ter do seu lado um forte apoio vindo das bancadas do Puskás Arenas.

Tudo indica que estarão nas bancadas cerca de 67.000 espetadores, o que funcionará como um grande trunfo para o conjunto húngaro, presente pela quarta vez numa fase final, repetindo 1964, 1972 e 2016.

A equipa magiar está, porém, privada a sua maior ‘estrela’, o médio Dominik Szoboszlai, por lesão, e é manifestamente inferior às restantes, pelo que Portugal terá de vencer, até para não ficar, desde logo, numa posição difícil na corrida aos ‘oitavos’, sendo certo que nunca caiu na fase de grupos.

Quanto à equipa a apresentar na estreia, poucas dúvidas devem restar na mente do selecionador luso Fernando Santos, sendo que os dois lugares à frente da defesa são aqueles que podem suscitar mais dúvidas, a par de um dos lugares da frente.

Com a baliza entregue a Rui Patrício, o quarteto defensivo deverá ser composto por Nelson Semedo, depois de João Cancelo ser excluído dos eleitos com um positivo ao novo coronavírus, Rúben Dias, Pepe e Raphaël Guerreiro, com Nuno Mendes à espreita.

Quanto aos dois médios mais defensivos, o selecionador luso poderá apostar nos mais experientes William Carvalho e João Mourinho, mas também podem jogar Rúben Neves, Palhinha e até Danilo, experimentado como central nos últimos particulares.

Mais à frente, estará, certamente, Bruno Fernandes, enquanto o ataque terá, com toda a certeza, o ‘capitão’ Cristiano Ronaldo e Bernardo Silva, mais, provavelmente, Diogo Jota, embora João Félix também seja opção a ter em conta.

De resto, o selecionador luso terá uma nova dor de cabeça. Dos 26 convocados, três terão de ir para a bancada, sendo que o guarda-redes Anthony Lopes poderá ser um dos escolhidos, caso não recupere a 100% de uma lesão sofrida na perna direita, bem como Diogo Dalot, chamado à última hora para substituir Cancelo.

A estreia no Grupo F diante dos magiares, que asseguraram o apuramento via ‘play-offs, irá assinalar o terceiro jogo entre Portugal e Hungria numa fase final, depois do triunfo por 3-1 rumo ao ‘bronze' Mundial, em 1966, e o empate 3-3 em 2016, na campanha rumo ao título, ambos em fases de grupos.

O detentor do troféu nunca perdeu com a Hungria e tem boas memórias da capital húngara, pois venceu os três embates oficiais disputados em Budapeste, nos apuramentos para o Euro2000 (3-1) e para os Mundiais de 2010 e 2018 (ambos por 1-0).

Portugal integra o grupo F do Euro2020, juntamente com Hungria, Alemanha e França, tendo estreia marcada na competição para terça-feira, diante dos húngaros, em Budapeste, antes de defrontar os germânicos, no sábado, em Munique, e os franceses, em 23 de junho, novamente na capital magiar.

O Euro2020, que foi adiado para este ano devido à pandemia de covid-19, decorre em 11 cidades de 11 países, até 11 de julho.

O encontro entre Portugal e a Hungria, da primeira jornada do Grupo F do Euro2020, está marcado para terça-feira, no Puskás Arena, em Budapeste, a partir das 18:00 locais (17:00 em Lisboa).

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.