Carla Couto, antiga internacional portuguesa e delegada do Sindicato de Jogadores para o futebol feminino, deixou uma mensagem às atletas a propósito do limite orçamental no principal escalão em Portugal.

"A propósito do limite orçamental no futebol feminino, gostava de transmitir às jogadoras uma mensagem de tranquilidade. Não vejam nesta medida uma discriminação ou um ataque às jogadoras. Nós nunca o permitiríamos. Não vejam nesta medida uma limitação à vossa liberdade contratual. Clube e jogadoras continuarão a negociar livremente os seus contratos. Esta medida é transitória e pretende acautelar o desequilíbrio competitivo e financeiro da Liga feminina que todos conhecemos. Muito importante: estamos a trabalhar no estabelecimento de um contrato coletivo de trabalho para as jogadoras que garanta direitos fundamentais", destacou a ex-futebolista, num vídeo partilhado nas redes sociais do Sindicato de Jogadores.

Carla Couto acrescentou ainda que entende as questões levantadas pelas jogadoras e deixou uma garantia: "Quero expressar a minha solidariedade. Compreendo as vossas dúvidas e incertezas. Neste momento, quero-vos garantir que eu e o Sindicato de Jogadores tudo faremos para exigir à FPF e clubes um tratamento digno e as condições desportivas e de trabalho que as jogadoras merecem."

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.