O alemão Marcus Kattner, antigo diretor financeiro e antigo vice-secretário geral da FIFA durante a presidência de Joseph Blatter, foi hoje suspenso pelo comité de ética da entidade de todas as atividades relacionadas com o futebol durante 10 anos.

O dirigente foi também multado em um milhão de francos suíços (940 mil euros), devido às acusações de abuso de posição e conflito de interesses na investigação aberta em setembro de 2016, que também visa Blatter, antigo presidente da FIFA, e o seu ‘braço-direito' na organização, Jérôme Valcke.

O comité de ética indicou, num comunicado divulgado no 'site' da FIFA, que, enquanto exerceu cargos na entidade que rege o futebol mundial, Kattner recebeu bónus avultados, à margem do seu contrato de trabalho, mas cujos termos foram mantidos em sigilo e não foram autorizados pelos órgãos necessários.

O suíço Blatter, 84 anos, que presidiu a FIFA entre 1998 e 2015, o francês Valcke, e o alemão Kattner são acusados de terem compartilhado bónus no valor de 80 milhões de dólares (71 milhões de euros) entre 2011 e 2015.

Blatter e Valcke já estão suspensos de todas as funções ligadas ao futebol, tendo o primeiro declarado, em 2016, que "nunca conheceu um homem mais honesto" do que Kattner, de 49 anos, que ingressou na FIFA em 2003 e foi demitido em maio de 2016.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.