O Chelsea foi claramente superior ao Arsenal durante a primeira parte e cedo se adiantou no marcador pelo internacional alemão Antonio Rudiger, de cabeça, na sequência de um pontapé de canto, e não fora a grande exibição do veterano guarda-redes checo Petr Cech e teria resolvido a partida ainda antes do intervalo.

Nesse período, destacou-se o jovem inglês de 17 anos, Hudson-Odoi, que ‘dinamitou’ a defesa dos ‘gunners’ com as suas mudanças de velocidade e o seu engodo pela baliza, numa partida aberta, intensa, de parada e resposta, sem grandes preocupações defensivas.

Pela negativa, sobressaiu o ponta de lança espanhol Álvaro Morata, que desperdiçou um penálti, aos 15 minutos, por falta na área do seu compatriota Bellerin sobre Hudson-Odoi, e mais alguns lances de finalização aparentemente fácil.

Com as muitas alterações introduzidas na segunda parte, nada menos de dez, pelo treinador do Chelsea, o italiano Maurizio Sarri, o Arsenal conseguiu algum ascendente que acabou por ser premiado ao minuto 90+3 com o empate pelo internacional francês Aexandre Lacazette.

Nos penáltis, o Arsenal foi mais eficaz ao contabilizar seis remates vitoriosos contra cinco do Chelsea, que desperdiçou um remate pelo internacional inglês Loftus-Cheek.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.