O futebolista brasileiro Óscar, antigo médio do Chelsea, e com 48 internacionalizações pelo Brasil, disse à televisão estatal CGTN que está pronto a vestir a camisola da seleção chinesa, caso a FIFA permita.

"Posso considerar isso porque é difícil voltar para a seleção brasileira desde que estou aqui", disse o futebolista, que joga atualmente nos chineses do Shanghai SIPG, clube treinado pelo português Vitor Pereira.

"Na China, toda a gente vê o quão bem eu jogo, por isso, se a seleção chinesa precisar de um bom médio, acho que posso ajudar, caso mudem [as regras]", acrescentou.

Óscar foi contratado aos ingleses do Chelsea por 60 milhões de euros, em janeiro de 2017, um valor recorde no futebol asiático, mas não alinha pela seleção do Brasil desde 2015.

Segundo as regras da FIFA, o médio de 28 anos não pode jogar pela China, pois representou o Brasil em jogos oficiais, inclusive no Mundial de 2014.

A China, que ambiciona qualificar-se para um Mundial, começou no ano passado a naturalizar vários jogadores que não têm laços familiares com o país.

O primeiro foi o avançado brasileiro Elkeson, de 31 anos, que conta já com quatro aparições e fez três golos pela seleção chinesa.

Dois outros brasileiros foram naturalizados desde então.

Pedro Delgado, ex-internacional sub-21 português, formado no Sporting, poderá vir também a envergar a camisola da China. O médio do Shandong Luneng naturalizou-se cidadão chinês, depois de ter rumado à China em fevereiro de 2019.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Desporto. Diariamente. No seu email.

Notificações

SAPO Desporto sempre consigo. Vão vir "charters" de notificações.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.