A FIFA levantou hoje a ameaça de suspender a Associação de Futebol de Gana (GFA), após o governo daquele país africano ter decidido não fechar o organismo, posição que tinha assumido como medida para combater os escândalos.

Em vez da suspensão, a FIFA anunciou que vai trabalhar em conjunto com o governo e as autoridades do futebol do Gana para criar um painel interino, que irá supervisionar o funcionamento da GFA até às próximas eleições, em março de 2019.

O acordo agora alcançado significa que a seleção do Gana pode disputar os jogos de qualificação para a Taça das Nações Africanas de futebol (CAN), de 2019, incluindo contra o Quénia, em 07 de setembro.

O governo do Gana tentou dissolver a GFA depois de várias autoridades terem sido envolvidas em casos de suborno e corrupção, num processo exposto através de uma reportagem conduzida por um repórter disfarçado.

O membro do Conselho da FIFA Kwesi Nyantakyi renunciou ao cargo na sequência da reportagem e está a ser investigado pelo Comité de Ética por supostamente ter recebido prendas no valor de 65 mil dólares (cerca de 55.500 euros).

Os elementos do painel interino de gestão da GFA vão ter ainda que passar pelo controlo de integridade da FIFA.

Seja o melhor treinador de bancada!

Subscreva a newsletter do SAPO Desporto.

Vão vir "charters" de notificações.

Ative as notificações do SAPO Desporto.

Não fique fora de jogo!

Siga o SAPO Desporto nas redes sociais. Use a #SAPOdesporto nas suas publicações.